Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Bolsonaro diz que 'quem fecha tudo está na contramão do que o povo quer'

Em cerimônia no Ceará, presidente criticou políticos que implantam restrições por causa da COVID-19, mesmo diante do colapso na rede de saúde de vários estados


26/02/2021 15:17 - atualizado 26/02/2021 15:31

Apesar da alta no número de mortos e infectados pela COVID-19 no Brasil, Bolsonaro disse que 'o povo não consegue mais ficar dentro de casa'(foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Apesar da alta no número de mortos e infectados pela COVID-19 no Brasil, Bolsonaro disse que 'o povo não consegue mais ficar dentro de casa' (foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a criticar a política de lockdown e afirmou, nesta sexta-feira (26/2), que os governadores que “fecham tudo estão na contramão do que o povo quer”. A declaração ocorreu em Tianguá, no Ceará, durante a cerimônia de assinatura de ordens de serviço da Travessia local, das Variantes de Frios e Umirim e do Viaduto de Horizonte.

“Aos políticos que me criticam sugiro que façam o que eu faço. Tenho um prazer muito grande de estar no meio de vocês. Dizer a esses políticos do Executivo que o que eu mais ouvi por aqui foi 'presidente, eu quero trabalhar'. O povo não consegue mais ficar dentro de casa. O povo quer trabalhar. Esses que fecham tudo e destroem empregos estão na contramão daquilo que o povo quer. Não me critiquem. Vão para o meio do povo mesmo depois das eleições, porque durante as eleições é muito fácil. Eu quero ver é depois”, disparou.

O mandatário ainda teceu indiretas às críticas do governador do Ceará, Camilo Santana (PT), sobre suas viagens durante a pandemia, em meio à aglomeração.

UTIs lotadas pelo Brasil


No Distrito Federal, o governador Ibaneis Rocha decidiu adotar medidas mais restritivas para evitar a proliferação da COVID-19.

A partir de segunda-feira (1º/3), todas as atividades econômicas ficarão suspensas das 20h às 5h, à exceção de serviços essenciais.

Em meio ao aumento dos casos de infecção pelo novo coronavírus e com UTI's lotadas, Paraná e Santa Catarina também decretaram lockdown.

O governo paranaense fechará os serviços não essenciais a partir da meia-noite desta sexta (26) para sábado (27). O toque de recolher também foi ampliado, e passa a valer entre as 20h e 5h.

As medidas valem até as 5h de 8 de março.

Já o governo catarinense anunciou um lockdown para este final de semana em todo o estado.

O funcionamento de serviços não essenciais ficará suspenso das 23h desta sexta-feira até as 6h de segunda-feira (1º).

A medida também vale para o próximo final de semana. O lockdown começará às 23h desta sexta-feira (5) e termina às 6h de segunda-feira (8).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade