Publicidade

Estado de Minas PICANHA, CERVEJA E BEATS

Picanha e cerveja: políticos pedem investigação contra as Forças Armadas

Parlamentares repercutem a notícia de que as Forças Armadas comprou picanha, cerveja e Skol Beats com dinheiro público


11/02/2021 17:01 - atualizado 11/02/2021 19:24

Comandos das Forças Armadas compraram cerveja e picanha com preços superfaturados, segundo deputados(foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Comandos das Forças Armadas compraram cerveja e picanha com preços superfaturados, segundo deputados (foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Após acionarem a Procuradoria Geral da República (PGR), os deputados do PSB na Câmara afirmaram que vão protocolar na sexta-feira (12/02) no Tribunal de Contas da União (TCU) um pedido de investigação de compras pelas Forças Armadas de toneladas de picanha, milhares de litros de cerveja e dezenas de latas de Skol Beats.

O documento é assinado pelos deputados Elias Vaz (PSB-GO), Alessandro Molon (PSB-RJ), Denis Bezerra (PSB-CE), Lídice da Mata (PSB-BA), Camilo Capiberibe (PSB-AP),  Bira do Pindaré (PSB-MA) e Vilson da Fetaemg (PSB-MG).
Os parlamentares denunciaram na terça-feira (09/02) o "uso de recursos com ostentação e superfaturamento" pelos militares.

Repercussão no meio político 

Depois da notícia foi capa de grandes jornais, políticos foram até as redes sociais comentar e repudiar o assunto.

Entre eles, o ex-ministro da Fazenda e vice-presidente do PDT, Ciro Gomes. O político chamou de “vexame” a ação dos militares e citou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Que vexame! Dinheiro público pagou 700 toneladas de picanha e 80 mil cervejas para churrasco dos militares, segundo denúncia apresentada à PGR. Em tempos de pandemia, que nosso povo sofre na miséria e passa fome, estas são as prioridades do governo Bolsonaro”, escreveu Ciro nas redes sociais.
 
 

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) também comentou sobre o assunto. “700 toneladas de picanha. 80 mil cervejas. 68 milhões de famílias sem o auxílio emergencial”, escreveu.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) afirmou que toda a situação é um absurdo. “Gravíssimo o levantamento do @psbnacamara entregue ao @MPF_PGR que mostra a compra pelo Exército de centenas de latas e garrafas de cerveja e quilos de picanha - com indicação de superfaturamento.Enquanto isso quase 70 milhões de brasileiros sem auxílio emergencial.”
 
 
 

Entenda 

Um levantamento feito por deputados federais do PSB no orçamento federal aponta que os comandos das Forças Armadas adquiriram, por meio de licitação, cerca de 80 mil unidades de cerveja e mais de 700 mil quilos de picanha. Foi constatado ainda o superfaturamento desses produtos em mais de 60%.

 

Com base nos dados levantados, o grupo apresentou denúncia à Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o governo federal. No documento, os parlamentares afirmam que as compras revelam “o uso de recursos com ostentação e superfaturamento” e a "falta de zelo e responsabilidade com o dinheiro público” por parte das Forças Armadas.  

Com a palavra, o Ministério da Defesa 

Confira nota emitida pelo Ministério da Defesa:
 
"O Ministério da Defesa (MD) informa que a referida representação tem como ponto de partida uma matéria veiculada na imprensa, com informações absolutamente equivocadas, que foi inclusive objeto de Nota de Esclarecimento desta pasta. Na ocasião ficou claro que as quantidades adquiridas e os valores efetivamente gastos com os determinados produtos eram de 10 a 20 vezes menores do que foi divulgado.

Existe sempre uma significativa diferença entre processos de licitação e a compra efetivamente realizada, cuja efetiva aquisição é concretizada conforme a real necessidade da administração. Assim, é imprescindível que se faça essa segmentação adequada, quando se faz a totalização dos valores, interpretação e principalmente a divulgação pública destes dados, de modo a evitar a desinformação. 

Apresentar valores totais de processos licitatórios homologados como sendo valores efetivamente gastos constitui grave equívoco. 

Destaca-se, ainda, que, ao contrário dos civis, os militares não recebem qualquer auxílio alimentação. Diante disso, as Forças Armadas são responsáveis por prover a alimentação balanceada de 370 mil militares da ativa em 1.600 organizações espalhadas por todo o País. O valor da etapa diária por militar, incluindo as três refeições, é de R$ 9,00.

Tendo em vista a representação encaminhada à Procuradoria Geral da República, o MD informa que irá aguardar a notificação do órgão competente sobre este assunto. 

O Ministério da Defesa e as Forças Armadas reiteram seu compromisso com a transparência e a seriedade com o interesse e a administração dos bens públicos. Eventuais irregularidades são  apuradas com rigor."


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade