Publicidade

Estado de Minas DISPUTA POR VOTOS

MDB tem candidata, mas partidos aliados no Senado declaram apoio a Pacheco

Embora decisão não prejudique relação entre legendas, bloco 'Unidos pelo Brasil' se dividiu na disputa pela presidência da Casa


13/01/2021 18:42 - atualizado 13/01/2021 19:20

Após anúncio de candidatura, Simone Tebet busca votos para desbancar Rodrigo Pacheco.(foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
Após anúncio de candidatura, Simone Tebet busca votos para desbancar Rodrigo Pacheco. (foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
Em busca de apoios na corrida pela presidência no Senado Federal, Simone Tebet (MDB/MS) já sabe que os partidos que compõem, ao lado de sua legenda, o bloco parlamentar Unidos Pelo Brasil, vão apoiar o rival Rodrigo Pacheco (DEM-MG). O atraso na definição do postulante emedebista faz, agora, com que Tebet corra contra o tempo para fechar acordos.

Entre os partidos que já fecharam com Pacheco, estão Republicanos e Progressistas (PP), que formam a coalizão composta pelo MDB. Um interlocutor presente nos bastidores do Congresso Nacional, no entanto, crê que a divergência sobre a eleição da Mesa Diretora não vai impedir a continuidade do bloco parlamentar. Os grupos são formados, por exemplo, para pleitear vagas em comissões temáticas.

Tebet vai à caça por votos


Oficializada nessa terça-feira (12/01) como concorrente, a sul-matogrossense Tebet começa a costurar alianças em prol de votos. O Cidadania, com três senadores, fará parte do grupo. O Podemos, com 10, também deve compor. Senadores de PSL e PSDB são cortejados pelos emedebistas.

Eleito por Goiás, o ex-apresentador de televisão Jorge Kajuru (Cidadania), foi ao Twitter comentar a candidatura de Simone Tebet. “Vamos torcer para não ter traíra no MDB para sacanear uma mulher de bem”, disse, com várias exclamações.

Grupo de Pacheco tem sete partidos


O PP foi, justamente, a última agremiação a endossar oficialmente a candidatura de Pacheco, o que ocorreu nesta quarta (13/01). Os sete progressistas fazem com que o número de senadores comprometidos com o mineiro chegue a 38. Os apoios, contudo, podem não se refletir na votação, visto que o pleito é secreto.

Fora DEM e PP, outros cinco partidos estão com Pacheco: PSD, Pros, Republicanos, PT, PSC e PL. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) também anunciou apoio público ao postulante.

O Estado de Minas procurou Rodrigo Pacheco, por meio de sua assessoria, para comentar a aliança com Republicanos e Progressistas. O staff do democrata, contudo, afirmou que ele só deve comentar o tema após a oficialização de sua candidatura — o que está previsto para a próxima semana.

Partidos explicam apoios


Ao justificar a opção por Rodrigo Pacheco, o senador piauiense Ciro Nogueira, presidente Nacional do PP, fez menção à necessidade de reformas econômicas. “Acreditamos que o senador Rodrigo Pacheco se identifica com os anseios progressistas de unificar o Senado Federal em torno de projetos que vão garantir a retomada do crescimento econômico do país pós-pandemia e as reformas de que o Brasil precisa”, disse.

Na sexta da última semana, o Republicanos, sigla que abriga parte da família Bolsonaro, também emitiu comunicado oficializando o apoio.

“O Republicanos acredita que o senador Rodrigo Pacheco tem o preparo necessário para conduzir os trabalhos da Casa, com coerência e determinação e que, de forma conciliadora, saberá lidar com as demais instituições sempre com respeito à Constituição Federal”, alegou o líder do partido na Câmara Alta do Parlamento, o maranhense Mecias de Jesus.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade