Publicidade

Estado de Minas INVESTIGAÇÃO

Vereador de BH, Ronaldo Batista é preso pela Polícia Civil

Parlamentar é investigado por suspeita de envolvimento no assassinato de um vereador de Funilândia, na Região Central de Minas


15/10/2020 11:26 - atualizado 15/10/2020 16:00

Ronaldo Batista ocupa o cargo de vereador de BH desde agosto de 2019(foto: Karoline Barreto/Câmara Municipal de Belo Horizonte)
Ronaldo Batista ocupa o cargo de vereador de BH desde agosto de 2019 (foto: Karoline Barreto/Câmara Municipal de Belo Horizonte)
O vereador de Belo Horizonte Ronaldo Batista (PSC) foi preso preventivamente na manhã desta quinta-feira (15) pela Polícia Civil. 

Ele é suspeito de envolvimento no assassinato de Hamilton Dias de Moura (MDB), vereador em Funilândia, na Região Central de Minas. Moura era também diretor do Sindicato dos Motoristas e Empregados em Empresas de Transporte de Cargas, Logística em Transporte e Diferenciados de Belo Horizonte e Região (SIMECLODIF). A entidade é sediada no Barroca, Região Oeste da capital.

O parlamentar foi morto a tiros em 23 de julho, dentro do próprio carro. O corpo foi encontrado no Bairro Jardinópolis, próximo à estação de Metrô Vila Oeste. 

Batista foi preso nas proximidades de sua residência, situada no Bairro Castelo, na Pampulha. 

Conduzido ao Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), ele presta depoimento desde as 12h30. A Polícia Civil não deu informações sobre as possíveis motivações do crime.

Batista está acompanhado do advogado, Humberto Martins, e do filho, Douglas Batista, que não quiseram falar com a imprensa.

Douglas Batista (sentado, de braço tatuado), filho do vereador Ronaldo Batista, aguarda o pai na sala de espera do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O parlamentar deve passar a tarde em oitiva com a Polícia Civil.(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press)
Douglas Batista (sentado, de braço tatuado), filho do vereador Ronaldo Batista, aguarda o pai na sala de espera do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O parlamentar deve passar a tarde em oitiva com a Polícia Civil. (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press)
Antes der preso, em agosto, o parlamentar foi alvo de uma operação de busca e apreensão em seu gabinete na Câmara Municipal. Na ocasião, a Polícia Civil apreendeu 10 computadores.

Ronaldo Batista chegou a confirmar que disputaria um novo mandato nas eleições municipais deste ano, em convenção partidária do PSC, realizada em 12 de setembro. Contudo, retirou a candidatura. 

O parlamentar ocupa o cargo de vereador efetivo de BH desde agosto de 2019, ao substituir Cláudio Duarte (PSL), primeiro de vereador de BH cassado por praticar rachadinha.

A Câmara Municipal de BH ainda não se manifestou sobre o fato.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade