Publicidade

Estado de Minas HOMICÍDIO

Irmão de prefeito, suspeito de matar candidato a vereador em Patrocínio, tinha posse de arma

Jorge Marra foi localizado e a polícia tenta negociar a sua entrega. Pedido de prisão preventiva já foi encaminhado à Justiça de deve sair no final na tarde


25/09/2020 15:31 - atualizado 25/09/2020 18:11

Crime ocorreu na porta da Secretaria de Obras de Patrocínio, no Triângulo Mineiro(foto: Reprodução/Internet)
Crime ocorreu na porta da Secretaria de Obras de Patrocínio, no Triângulo Mineiro (foto: Reprodução/Internet)

O principal suspeito de matar o candidato a vereador Cássio Remis dos Santos (PSDB), de 37 anos, tinha posse de arma de fogo. A informação foi repassada nesta sexta-feira (25) pelos delegados responsáveis pelo caso que chocou a cidade de Patrocínio, no Triângulo Mineiro. 

“Ele tinha posse de arma. Era dele e era registrada. Mas não tinha o porte, então não poderia circular dentro do veículo”, esclareceu o delegado regional de Patrocínio, Valter André.

A polícia aponta Jorge Marra, irmão do prefeito da cidade, como o autor do homicídio. A expectativa da Polícia Civil é de que o homem se entregue ainda no decorrer desta sexta-feira. Caso isso não ocorra, a prisão preventiva será decretada até o final da tarde, informou o delegado.

“Estamos com provas materiais e testemunhais praticamente prontas. As provas são vastas e vamos resolver o caso”, garantiu Valter. Segundo a delegacia, todas as pessoas que estavam presentes no vídeo em que flagra o momento do crime foram ouvidas.

 

A polícia trata o crime como homicídio doloso qualificado por motivo fútil. Durante as buscas nessa quinta-feira (24), o carro de Jorge Marra foi encontrado em Perdizes, a 63 quilômetros do local do crime. Dentro do veículo, a polícia localizou um revólver calibre 38 e um celular. A perícia ainda não confirmou se o aparelho é do suspeito ou da vítima.

Outra vertente das investigações trata de monitoramento às ameaças que familiares do prefeito Deiró Moreira Marra têm recebido. Isso porque o ex-vereador estava na Avenida João Alves do Nascimento, onde fez uma live criticando obras de um calçamento sendo realizadas com funcionários da Prefeitura. Nesse momento, o suspeito saiu de um veículo e tomou o aparelho celular da vítima que, em seguida, foi atrás do suspeito até a entrada da Secretaria de Obras, onde ocorreu o assassinato.

Segundo o delegado, a princípio não há ligação da morte do vereador com o prefeito, mas não será descartada a hipótese de outras pessoas envolvidas como mandantes ou ajudantes no crime. “A princípio, não é necessário ouvir o prefeito Deiró Marra. Isso porque o autor saiu sozinho na caminhonete e ainda não trabalhamos com a hipótese de outro suspeito envolvido. Mas estamos em apuração.”

Durante coletiva de imprensa virtual, nesta tarde (25), Renato Mendonça, delegado titular do inquérito, ressaltou que a instituição está empenhada ao máximo para solucionar o caso. “Desde o momento do crime, tivemos uma ação muito rápida da polícia. Entramos noite adentro e vamos continuar. Todas as pessoas na filmagem foram ouvidas, conseguimos localizar o autor e estamos tentando negociar sua entrega”, destacou.

O crime

candidato vereador Cássio Remis dos Santos (PSDB), de 37 anos, morto com cinco tiros por volta das 15h30 dessa quinta-feira (24), foi sepultado no início da tarde desta sexta-feira (25) no Cemitério Memorial Jardim dos Ipês, em Patrocínio, na Região do Alto Paranaíba. 

O suspeito de praticar o crime, é o secretário de Obras Jorge Marra, de 60 anos. Há imagens de câmeras de segurança que mostram o momento em que os envolvidos no crime discutem e, em seguida, Marra saca sua arma, que estava dentro de sua caminhonete, e atira contra a vítima. 

O ex-vereador estava na Avenida João Alves do Nascimento, onde fez uma live criticando obras de um calçamento sendo realizadas com funcionários da Prefeitura e onde, segundo a vítima, o local seria o comitê de campanha do atual prefeito, Deiró Moreira Marra. Nesse momento, o suspeito saiu de um veículo e tomou o aparelho celular da vítima que, em seguida, foi atrás do suspeito até a entrada da Secretária de Obras, onde ocorreu o assassinato.

O prefeito de Patrocínio, que concedeu coletiva à imprensa por volta das 17h30 dessa quinta-feira (24), assegurou que não teve relação com a discussão entre Cássio e o irmão e pediu que a Justiça possa apurar todo o fato. "É uma tragédia, não tem e nunca terá minha aprovação. As consequências que culminaram nessa discussão serão elucidadas. Quero tranquilizar a população que a gente não participa dessas atitudes. É uma tragédia. Decretei luto oficial", declarou.

Cássio Remis, o mais novo vereador já eleito em Patrocínio, exerceu dois mandatos consecutivos: 2009/2012 e 2013/2016 e foi presidente da Câmara Municipal em 2013/2014.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade