Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Negacionista, deputado Coronel Tadeu entra em ventilação após contrair COVID-19

Coronel Tadeu testou positivo na última terça-feira (21). Anteriormente, o bolsonarista vinha minimizando a pandemia nas redes sociais


23/07/2020 18:38 - atualizado 23/07/2020 18:55

As imagens foram publicadas no Twitter do parlamentar(foto: Twitter/Reprodução)
As imagens foram publicadas no Twitter do parlamentar (foto: Twitter/Reprodução)
Internado com COVID-19 há cerca de 11 dias, o deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP) postou uma foto no Twitter nesta quinta-feira (23) e relatou que entrou “na pior fase do vírus”. Durante a pandemia, Tadeu chegou a falar que o coronavírus era uma “política nojenta de produzir óbitos no Brasil.” O deputado vem se tratando com azitromicina e cloroquina. Os tratamentos não têm eficiência comprovada cientificamente. 
 
 
 

No post, o deputado publicou imagens fortes. Com 54 anos, ele entrou no estágio de ventilação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital particular em São Paulo. Apesar de abatido, Tadeu explica que está “muito confiante.” Isso devido, às medicações.

“Azitromicina e cloroquina já fazem parte desse tratamento. Não iremos perder essa guerra. #BolsonaroTemRazao”, escreveu.

Coronel Tadeu testou positivo na última terça-feira (21). Anteriormente, o bolsonarista vinha minimizando a pandemia nas redes sociais.

  Ivermectina: o que a ciência diz sobre a 'nova cloroquina' 

 
Tadeu chegou a questionar o números de mortos pela doença e até mesmo a ironizar a morte de sua madrasta, ao dizer que mesmo diagnosticada com COVID-19, a senhora teria morrido de pneumonia. 

 

* Estagiária sob supervisão da editora Liliane Corrêa 


Efeitos colaterais da cloroquina

Apesar da 'campanha' feita por Bolsonaro a favor da cloroquina e da ampliação de seu uso pelo Ministério da Saúde, inclusive para casos leves de COVID-19,não há comprovação científica de que o medicamento tenha efeito no combate à doença causada pelo coronavírus.

Além disso, a cloroquina e a hidroxicloroquina podem causar efeitos colaterais graves como distúrbios de visão, irritação gastrointestinal, alterações cardiovasculares e neurológicas, cefaleia, fadiga, nervosismo, prurido, queda de cabelo e exantema cutâneo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade