Publicidade

Estado de Minas SÚPLICA

"Pelo amor de Deus, não avancem com esse inquérito!", apela Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro fez o pedido, em tom de súplica, ao mesmo tempo em que confrontou o STF: "chega, porra!"


postado em 28/05/2020 12:42 / atualizado em 28/05/2020 13:46

- Palácio do Alvorada - Coletiva - 28 Maio - Liberdade de expressão.

Publicado por Jair Messias Bolsonaro em Quinta-feira, 28 de maio de 2020

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) alternou o humor, na manhã desta quinta-feira, durante declaração na porta do Palácio da Alvorada,  entre a falta de temperança - "acabou, porra!"-, e súplicas veementes - "pelo amor de Deus, não prossigam com esse tipo de inquérito!".

(foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)
O presidente fazia referência às investigações comandadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e que embasaram operação deflagrada, nessa quarta-feira (27),  da Polícia Federal.

Durante pouco mais de 23 minutos, o presidente discursou para jornalistas, sem direito a questionamentos - "não tem perguntas, quem quiser ir embora..'', repetiu ele duas vezes- e ainda para uma pequena plateia de apoiadores - que também foram constrangidos a ficarem quietos - "pera aí (sic)", disse a um deles o presidente,  visivelmente impaciente.

Paz e guerra


Ao mesmo tempo em que pedia "paz e harmonia", Bolsonaro bradava: "estou com as armas da democracia".

De acordo com o presidente, "o criminoso não é o Weintraub (ministro da Educação pediu a prisão de ministros do STF) nem o Salles (ministro do Meio Ambiente, que sugeriu aprovação de legislação ambiental a revelia do Congresso Nacional)".

A defesa de Bolsonaro dos dois ministros veio em função da reunião ministerial do dia 22 de abril e que faz parte de outro inquérito que tramita no STF envolvendo o presidente - acusado pelo ex-ministro Sérgio Moro de interferência na Polícia Federal para atender a interesses da família e de amigos.

Antes dessa defesa de seus dois colaboradores, Bolsonaro criticou o ministro Celso de Mello, do STF, que retirou o sigilo da reunião de Bolsonaro com seus ministros.

Ao ser questionado se, nessa quarta-feira (27), ao visitar o presidente do STF, ministro Dias Toffóli, que se encontra internado em um hospital de Brasília, teria ido ao local  para pedir paz, Bolsonaro reagiu : cala... acabou a entrevista", dando as costas para os repórteres e indo embora.

Alerta


O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL), filho 03 de Bolsonaro, postou  o vídeo com as declarações do pai.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade