Publicidade

Estado de Minas GUERRA DECLARADA

Weintraub: 'Por mim, botava esses vagabundos na cadeia, começando no STF'

Em trecho do vídeo da reunião ministerial cuja divulgação foi autorizada pelo decano Celso de Mello, ministro da Educação ataca Suprema Corte


postado em 22/05/2020 17:22 / atualizado em 23/05/2020 00:36

Durante reunião com Bolsonaro, Abraham Weintraub falou em prender ministros do STF.(foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Durante reunião com Bolsonaro, Abraham Weintraub falou em prender ministros do STF. (foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O ministro decano do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, autorizou a liberação do vídeo da reunião ministerial realizada no Palácio do Planalto, em 22 de abril, e que serviu de base para inquérito que investiga as denúncias do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro sobre suposta intervenção do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal. Em determinado momento do encontro, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, fala em prender ministros da Suprema Corte.

“A gente está perdendo a luta pela liberdade. É isso que o povo está gritando. Não está gritando para ter mais estados ou mais projetos. O povo está gritando por liberdade. Ponto. É isso que a gente está perdendo. Está perdendo mesmo. O povo está querendo ver o que me troxue até aqui. Eu, por, mim, botava esses ‘vagabundos’ todos na cadeia, começando no STF. É isso que me choca”, diz.

Weintraub ataca o STF instantes após classificar Brasília como um ‘cancro de corrupção’. "Não quero ser escravo neste país, e acabar com essa porcaria que é Brasília. Isso aqui é um cancro de corrupção e privilégios. Eu tinha uma visão extremamente negativa de Brasília. Brasília é muito pior do que podia imaginar. As pessoas, aqui, perdem a percepção, a empatia e a relação com o povo. Se sentem inexpugnáveis", acusa.

Mais ataques

Exaltado, o ministro da Educação afirma, ainda, ‘odiar’ termos que classificam minorias étnicas, como indígenas e ciganos.

Odeio o termo povos indígenas. Odeio esse termo. Odeio. (Odeio o termo) Povos ciganos… Só tem um povo neste país. Quer, quer, não quer sai de ré. É povo brasileiro. Só tem um povo. Pode ser preto, branco, japonês ou descendente de índio, mas tem que ser brasileiro. Acabar com esse negócio de povos e privilégios. Só pode ter um povo. Não pode ter ministro que acha que é melhor que o povo e o cidadão. É um absurdo”.

Segundo Weintraub, um “Partido Comunista”, que ele não especifica qual, tem o objetivo de “colonizar” o Brasil.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade