Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Coronavírus: Maia critica falta de propostas do governo e isolamento vertical proposto por Bolsonaro

Presidente da Câmara afirmou que a atuação do governo federal no combate ao coronavírus não dá previsibilidade aos brasileiros e aponta pressão do mercado financeiro para não se adotar o isolamento social


postado em 25/03/2020 19:15 / atualizado em 25/03/2020 22:49

Rodrigo Maia disse que presidente está cedendo à pressão dos investidores(foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Rodrigo Maia disse que presidente está cedendo à pressão dos investidores (foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), criticou a atuação do governo federal na crise do coronavirus, afirmando que falta previsibilidade aos brasileiros. “Se o governo já tivesse resolvido a renda dos mais simples e uma política de isolamentos dos idosos, teríamos garantido previsibilidade para os brasileiros e todos estariam fazendo o isolamento”, declarou, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (25).

Maia ainda criticou a posição defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em pronunciamento nesta terça, de se fazer isolamento vertical, apenas isolando quem pertence ao grupo de risco e liberando os mais jovens para trabalhar. “Como que alguém pode falar em isolamento vertoal se até hoje não anunciou uma medida de contingenciamento para os idosos brasileiros mais pobres?”, questionou. O deputado afirmou que se o governo apresentar uma proposta nesse sentido, em algumas semanas é possível reavaliar o isolamento vertical.

Pressão da Bolsa


Na avaliação de Maia, parte dos investidores do mercado financeiro, ao perder dinheiro com a crise, estão pressionando o governo para que o isolamento social não seja feito. Bolsonaro estaria se submetendo a essa pressão.  “Quem foi pro risco foi pro risco. Nós temos que seguir a orientação do Ministério da Saúde”, afirmou. 

De acordo com o presidente da Câmara, está sendo negociada com o governo a possibilidade de ampliar a ajuda de R$ 200 para os mais necessitados. “Temos que estar preocupados com a saúde dos brasileiros, os empregos dos brasileiros e dar condições para os que estão na informalidade, os mais simples, terem o apoio necessário do estado para passar por esse isolamento. Frases de efeito não vão resolver nosso problema”, declarou.

Impeachment


Questionado sobre a possibilidade de aceitar um pedido de impeachment do presidente Bolsonaro, Maia afirmou que não há motivo para isso. “Vamos resolver o problema dos brasileiros apesar de posicionamentos errados do governo”, disse.

Salários dos servidores 

Maia também comentou a articulação entre os partidos sobre uma possível proposta de redução dos salários de servidores dos três poderes. “A arrecadação vai cair. Isso gera uma nova pactuação. Se a receita cai você precisa readequar as despesas”. Segundo o presidente da Câmara, os partidos favoráveis à medida ainda vão apresentar um texto conjunto. Mas destacou que a ideia precisa passar pelo diálogo com o Executivo e o Judiciário. “Isso deveria vir do presidente, que deveria estar liderando esse processo”, afirmou, criticando novamente o presidente Jair Bolsonaro.

*Estagiário sob supervisão 




Publicidade