Publicidade

Estado de Minas

Classe artística repercurte pronunciamento de secretário de cultura que lembra discurso nazista

Atores, cantores e escritores repudiaram fala de Roberto Alvim; alguns pediram sua saída


postado em 17/01/2020 10:56 / atualizado em 17/01/2020 11:40

A sexta-feira (17) começou movimentada nas redes sociais, em especial o Twitter. Entre os assuntos mais comentadas do dia está o discurso do secretário especial da Cultura do governo do presidente Jair Bolsonaro, Roberto Alvim, semelhante ao do ministro de Adolf Hitler da Propaganda da Alemanha Nazista, Joseph Goebbels, antissemita radical e um dos idealizadores do nazismo.

(foto: Reprodução/Twitter)
(foto: Reprodução/Twitter)

O pronunciamento em vídeo aconteceu na noite de quinta (16) quando Alvim lançou o Prêmio Nacional das Artes, que promete patrocinar produções inéditas em diferentes áreas da cultura, como óperas, contos, espetáculos teatrais, pintura e escultura.

 

A classe artística não perdoou a fala de Alvim. A cantora Zélia Duncan postou que "definitivamente o fracasso subiu à cabeça do patético encarregado da falta de Cultura, Roberto Alvim." A cantora ainda o chamou de “ator canastrão e diretor fracassado". "Ele encontrou nesse governo desafinado e brega, seu frágil êxtase nazista-fetichista.Faltou o bigode, pro fã do crime aparentar melhor com o ídolo”, postou. Zélia ainda comentou sobre a trilha utilizada de pano de fundo no vídeo. “A trilha utilizada pelo nazi brasuca é Wagner. Artista utilizado por Hitler, para exaltar a raça ariana, os brancos “ puros”. Wagner era antissemita, não gostava de judeus. O circo de Alvim é lamentável e criminoso, se fôssemos um país direito, ele seria preso”.

O humorista e apresentador Danilo Gentili, do SBT/Alterosa também fez questão de se manifestar e pediu a saída do secretário. "Se quer brincar de Goebbels tem que brincar direito: alguém leve o Ministro Alvim até o jardim e providencie pra ele urgente uma ampola de cianeto. #foraalvim..."

Já o ator José de Abreu escreveu: "Convoco todos os artistas brasileiros a se posicionar contra o homem que destratou Fernanda Montenegro (em setembro de 2019, Alvim chamou a atriz de "sórdida” e mentirosa"). Que todos assumam a defesa da cultura brasileira contra esse debil mental, mente lesada pela cocaina, que se arvora num novo Goebbels! Ou somos todos um bando de merdas?”, postou Abreu que ainda chamou Roberto Alvim de "doente".


(foto: Reprodução/Twitter)
(foto: Reprodução/Twitter)


O escritor Antônio Prata parecia não acreditar no discurso e ainda ironizou a postura do governo. "Roberto Alvim realmente citou Goebbels. Ele citou Goebbels. Goebbels! O ministro da propaganda do Hitler. Repito. Roberto Alvim, secretário de cultura do gov.Bolsonaro, fez um discurso parafraseando o grande ideólogo do nazismo. Sem mais. (…) Este governo é tão bizarro que corre o risco do Roberto Alvim cair porque eles alegam que o nazismo é de esquerda."

 

O colega Marcelo Rubens Paiva foi outro que ficou indignado com a fala de Alvim. "Está na hora da classe artística, teatral, editorial, cinematográfica, que está calada, porque precisa do dinheiro de incentivos, fundos, Ancine e programas estatais, deixar de se acovardar e pegar o trombone. Já derrubamos muitas ditaduras. Mas nas ruas!

(foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)


Esposa pede perdão

Até a mulher do gestor, a atriz Juliana Galdino, opinou sobre a polêmica e pediu perdão a quem se sentiu ofendido. "É óbvio que não houve intenção de replicar nenhum discurso nazista, meu Deus. Houve equívoco na forma, e acho lamentável e não há como argumentar diante da infelicidade das semelhanças. Só podemos perdir perdão pra os que se sentiram ofendidos e um voto de confiança, garantindo que o verdadeiro propósito de nossas intenções replicam o conteúdo e não a forma do discurso.


Estou recebendo ameaças desde ontem, era pra ser um dia de alegria... ou absolutamente contra qualquer tipo de violência voluntária ou involuntária. Os erros a gente conserta, em vez de aumentá-los. De minha parte, eu sinto muitíssimo.
Perdão pela infeliz semelhança formal.
O conteúdo, a verdade de nossas intenções não é e nunca será o mesmo, eu lhes garanto... Ainda assim, perdão.%uD83D%uDE2A"

 



Publicidade