Publicidade

Estado de Minas

Ao sair da prisão, Lula critica ''lado podre'' de MP, Justiça e PF

Ex-presidente chamou Sergio Moro e os procuradores da Lava-Jato de ''bando de mafiosos'' e disse: ''Eles não prenderam o Lula, eles tentaram matar uma ideia''


postado em 08/11/2019 17:56 / atualizado em 08/11/2019 20:12

(foto: Carl de Souza/AFP)
(foto: Carl de Souza/AFP)
Logo depois de sair da sede da Polícia Federal em Curitiba, o ex-presidente Lula criticou a Justiça, o Ministério Público e a Receita Federal. Segundo o petista, o "lado podre" dessas instituições trabalhou para "criminalizar o PT, criminalizar o Lula". Referindo-se a Sergio Moro e os procuradores da Operação Lava-Jato, o ex-presidente disse que "eles não prenderam o Lula, eles tentaram matar uma ideia".

 

"Eu quero lutar para provar que existe uma quadrilha e um bando de mafiosos nesse país". Em seguida, Lula defendeu sua honestidade, criticando novamente o então ministro da Justiça e afirmando que não é uma qualidade que "se compra em qualquer lugar". 

 

Lula parabenizou as pessoas que o acompanharam nos 580 dias na cadeia e disse que nunca pensou que estaria solto nesta sexta-feira. "Era o alimento de democracia que eu precisava para resisitir", disse. "Vocês não têm dimensão do significado de eu estar aqui junto de vocês. A vida inteira estive conversando com o povo brasileiro", declarou o petista.

 

Lula também cumprimentou e agradeceu seus colegas de partido que estavam presentes, como Fernando Haddad, Gleisi Hoffmann e Lindbergh Farias, além de outros representantes da esquerda e de movimentos sociais. 

 

Ao sair do prédio, Lula foi acompanhado por apoiadores e por colegas de partido. Desde a manhã de sexta, um grupo de apoiadores do ex-presidente se concentou em frente à sede da PF. Eles soltaram fogos de artifício e entoaram gritos de apoio. A Polícia Militar estimou que cerca de 2 mil pessoas estavam aguardando a saída do ex-presidente.  

 

O ex-presidente Lula foi solto às 17h34 desta sexta-feira da sede da Polícia Federal em Curitiba. O juiz Danilo Pereira Júnior, da 12ª Vara Federal de Curitiba, determinou a soltura do petista, acatando pedido da defesa que levou em consideração a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). Nesta quinta, os ministros da corte decidiram por 6x5 pela insconstitucionalidade da prisão em segunda instância. 

 

Confira a íntegra do discurso de Lula: 

 

"Queridos companheiros e queridas companheiras, vocês não têm dimensão do significado de eu estar aqui junto de vocês. Eu, que a vida inteira, tive conversando com o povo brasileiro, não pensei que no dia de hoje eu poderia estar aqui conversando com homens e mulheres, que durante 580 dias ficaram aqui, me mandando ‘bom dia Lula’, gritaram ‘boa tarde, Lula’, gritaram ‘boa noite, Lula’. Não importa se estivesse chovendo, não importa se estivesse 40 graus, não importa se estivesse zero graus, todo santo dia vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para resistir.

 

O lado podre do estado brasileiro fez comigo e com a sociedade brasileira. O lado podre da Justiça, o lado podre do Ministério Público, o lado podre da Polícia Federal, o lado podre da Receita Federal, que trabalharam para tentar criminalizar a esquerda, criminalizar o PT e criminalizar o Lula. Eu não poderia ir embora daqui sem poder cumprimentar vocês.

 

Primeiro eu quero cumprimentar os companheiros que trabalharam aqui dia e noite. O Adair Gonçalves, do MST, a Juliana Oliveira, do MST, a Daiane Machado, a Denise Fátima Veiga da CUT e do PT, Eliane Coelho, do PT, o Fábio Augusto da Silva do PT, o Florisvaldo de Souza do PT, a Inês Maria do PT, Luís Carlos do Santos, do PT, a nossa querida Cleudir. Sebastião Cury, do Sindicato dos Metalúrgicos. Eu estou com uma relação como eu não sei o nome das pessoas que trabalharam aqui, se faltar o nome de alguém vocês me desculpem.

 

Eu tenho que agradecer o meu querido companheiro e advogado Zanin e a companheira Valeska, também minha advogada.  Quero cumprimentar a minha querida Gleissi Hoffmann, presidente do Partido dos Trabalhadores, quero cumprimentar o nosso quase presidente, se não fosse roubado, Fernando Haddad. Quero cumprimentar os advogados Emídio de Souza, futuro prefeito de Osasco, e o Luíz Eduardo Greenhalgh, também do PT, quero cumprimentar o companheiro Lindbergh. Agora eu quero cumprimentar duas figuras que eu não conhecia quando eu cheguei aqui, mas esses companheiros há 580 dias, de segunda a sexta-feira, vieram me fazer visita, que é o companheiro Rocha e o companheiro Caetano, dois advogados da maior qualidade. Além de advogados, eles viraram irmãos, eu precisei muito deles.

 

Quero cumprimentar o companheiro Marcola, que me subdisiava de material, de informações, e com quem eu também poderia dar um esporro de vez em quando. A Nicole, que fazia meu twitter também. O Bolsonaro diz que tem mais de 20 pessoas para fazer o Twitter dele, eu só tenho uma pessoa e ela tem cara e nome, que é a Nicole. Eu tenho muita gente a agradecer. Os companheiros do PSOL, do PC do B e do PCO.Quero apresentar a minha filha Lurian, o meu neto Thiago também. Eu quero apresentar o Morais, que está aqui, só para lembrar que não é só o Bolsonaro que é capitão, ele também é capitão. Eu creio no meu capitão. Ele não se aposentou como tenente e virou capitão não, ele se aposentou como capitão de verdade. Um dia, se o Bolsonaro encontrar com você, é ele quem tem que bater continência.

 

Eu quero apresentar a vocês uma pessoa que eu já falei, mas nem todos vocês conheciam. Eu consegui a proeza de preso arrumar uma namorada, ficar apaixonada e, ainda, ela aceitar a casar comigo. 

 

Deixa eu dizer uma coisa para vocês. Eu não ia falar aqui, porque eu estou há 580 dias dentro de uma sala, ouvindo vocês, ouvindo as músicas de vocês. Aliás, eu quero dar os parabéns para quem teve a ideia de cantar agora há pouco Massa Falida. Massa Falida foi uma música que eu , nos anos 1980, utilizava para parar trabalhador na porta de fábrica, para poder fazer assembléia. Eu fiquei muito feliz quando ouvi alguém cantar Massa Falida.

 

Eu imaginei que quando eu saísse, eu iria poder encontrar cada companheiro da visita e dar um grande abraço, dar um grande beijo, porque vocês não sabem o significado e a importância de cada um de vocês na minha vida. Vocês não têm noção do que representaram para mim. Eu fiquei mais fortalecido, mais corajoso, e eu quero que vocês saibam que além de continuar lutando para continuar melhorando a vida do povo brasileiro, que está uma desgraça.

 

Eu quero dizer em alto e bom som: eu vou deixar de fazer um discurso à nação daqui para frente, mas eu quero que vocês saibam que o lado mentiroso da Polícia Federal, que fez um inquérito contra mim, o lado mentiroso e canalha do Ministério Público, da Força Tarefa e o Moro têm que saber: eles não prenderam o homem, eles tentaram matar uma ideia. Uma ideia não desaparece. Eu quero lutar para provar que se existe uma quadrilha e um bando de mafioso nesse país, é essa maracutaia que eles fizeram, liderados pela Rede Globo de Televisão, que o PT estava sendo criminalizado e o Lula era um bandido. 

 

Se o pegar o Dallagnol, se pegar o Moro e alguns delegados que fizeram inquérito, juntar um dentro do outro e bater em um liquidificador, não dá 10% da honestidade que eu represento neste país. Eles têm que saber que caráter e dignidade não é coisa que a gente compra em shopping center. Eu adquiri tudo que eu tenho na vida de uma mulher que nasceu analfabeta, que teve os filhos em um hospital com parteira, que me ensinou a ter dignidade e morreu analfabeta, é a dona Lindu. Eu saio daqui aos 74 anos, com o meu coração que só tem espaço para amor, porque o amor vai vencer neste país.  Eles têm que saber que o nordestino que nasceu em Garanhuns, que passou fome, que veio para São Paulo e não morreu de fome até os 70 anos de idade, não tem nada que lhe vença e não vai ser mentira. 

 

A partir de agora, eu estou indo para São Paulo, amanhã eu tenho encontro no Sindicato dos Metalúrgicos e depois as portas do Brasil estarão abertas para que eu possa percorrer por este país. Depois que eu vi o estado do IBGE, depois que eu fui preso e eles roubaram do Haddad, o Brasil não melhorou, o Brasil piorou. O povo está passando mais fome, está desempregado, não tem mais trabalho com carteira assinada. O povo está trabalhando de uber, de bicicleta para entregar pizza.

 

O povo está trabalhando, na verdade, sem o menor respeito. Ainda ontem eu vi que não vai ter aumento no salário mínimo nos próximos dois anos, e além disso, eles colocaram um ministro da Educação da grosseria que é esse ministro, que tenta destruir nossas universidades. Eu quero que vocês saibam que eu saio daqui com o maior sentimento de agradecimento que um ser humano pode ter por outro, é o que eu tenho por vocês. Eu não tenho mágoa de ninguém, eu tenho vontade de provar que este país pode ser muito melhor na hora que ele tiver um governo que não minta tanto pelo Twitter, como o Bolsonaro mente, e que converse diretamente com seu povo sobre as soluções para este país.

 

Gente, muito obrigado. Do fundo do coração, muito obrigado. Eu não tenho palavras para agradecer, a não ser dizer que serei eternamente grato a vocês e fiel a luta de vocês. Obrigada pelo grito ‘Lula Livre’”. 

 

 

 


Publicidade