Publicidade

Estado de Minas

Zema revela que não deve apoiar reeleição de Alexandre Kalil para a PBH

Segundo o governador de Minas, o partido Novo pode ter candidato à prefeitura de BH e, consequentemente, o apoio dele


postado em 12/08/2019 11:36 / atualizado em 12/08/2019 12:17

Zema garantiu que não tem participação na escolha de um possível candidato do Novo à PBH(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A. Press)
Zema garantiu que não tem participação na escolha de um possível candidato do Novo à PBH (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A. Press)
 O governador de Minas GeraisRomeu Zema (Novo), revelou nesta segunda-feira que não deve apoiar a reeleição de Alexandre Kalil (PSD) à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) por questão partidária. O chefe do Executivo estadual elogiou o trabalho do atual prefeito, mas salientou que o Novo deve lançar  candidato para as próximas eleições municipais, em 2 de outubro de 2020.

É bem provável que o partido Novo venha a ter um candidato. Não está ainda definido. O prefeito Alexandre Kalil tem feito um bom trabalho na capital, mas por uma questão partidária, caso o partido Novo venha a lançar algum candidato, eu realmente terei de estar com esse candidato. Tenho certeza que se o partido lançar um candidato será bom”, disse Zema, em entrevista à Rádio Jovem Pan News.

O governador de  Minas Gerais também disse que o Novo ainda não definiu um nome para disputar o cargo na PBH. O partido deve ter a concorrência de outras legendas, como PT, PSDB, Cidadania e PSL. Zema destacou o ineditismo do iminente apoio, já que ingressou na política há cerca de dois anos e logo postulando o cargo de governador.

“Para mim vai ser uma experiência inédita, eu nunca tive de apoiar para o próprio partido, o partido nunca teve ninguém no Executivo apoiando alguma eleição. E vamos estar definindo como esse processo vai ser conduzido”, finalizou.

Na última quarta-feira, o Instituto Paraná divulgou uma pesquisa que aponta o prefeito Alexandre Kalil à frente na preferência dos eleitores de BH para 2020. Nos três cenários estimulados, o atual chefe do Executivo da capital mineira foi citado por mais de 40% dos entrevistados.



Publicidade