Publicidade

Estado de Minas

Zema anuncia que vai acabar com gasto de R$ 3 milhões com medalhas

De acordo com o governador, esse foi o valor gasto no passado para bancar 11 eventos para a entrega de medalhas no Estado


postado em 15/02/2019 12:38 / atualizado em 15/02/2019 15:16

(foto: Gil Leonardi/Imprensa MG)
(foto: Gil Leonardi/Imprensa MG)

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), usou  as redes sociais, nesta sexta-feira,  para anunciar mais uma decisão administrativa e política. Desta vez, Zema  informou que vai acabar com as solenidades para entrega de medalhas.



Ele justificou a medida alegando que apenas no ano passado foram gastos R$ 3 milhões em 11 eventos para homenagear pessoas e instituições mineiras e de outros estados.

Zema disse  que apenas a Medalha da Inconfidência será mantida. Trata-se da  mais alta comenda concedida pelo governo de Minas Gerais, atribuída a personalidades e instituições que contribuíram para o prestígio e a projeção mineira. A solenidade acontece anualmente em 21 de abril (feriado de Tiradentes), em Ouro Preto, na Região Central do estado.

O governador aproveitou o anúncio para dizer que vai propor a entrega da honraria este ano ao Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e às polícias Militar e Civil, que integram as Forças de Segurança, que atuam no socorro e proteção às vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho.

Medalha da Inconfidência


A Medalha da Inconfidência foi criada pela Lei 88 de 28 de julho de 1952.. É concedida em quatro graus, sendo que o Grande Colar da Medalha da Inconfidência é entregue exclusivamente a chefes de Estado.


As demais outorgas são entregues nos seguintes percentuais: Grande Medalha da Inconfidência, 25%; Medalha de Honra da Inconfidência, 35%; e Medalha da Inconfidência, 40%.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade