Publicidade

Estado de Minas

Decreto de posse de armas será assinado na segunda ou terça-feira

Onix desmentiu o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), que chegou a afirmar que o decreto seria assinado ontem


postado em 12/01/2019 06:00 / atualizado em 12/01/2019 07:40

Onix Lorenzoni desmentiu o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), que chegou a afirmar que o decreto seria assinado nessa sexta-feira(foto: ED ALVES/CB/D.A. PRESS)
Onix Lorenzoni desmentiu o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), que chegou a afirmar que o decreto seria assinado nessa sexta-feira (foto: ED ALVES/CB/D.A. PRESS)

Brasília – O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta sexta-feira que o decreto de flexibilização da posse de armas de fogo será assinado na segunda ou na terça-feira pelo presidente Jair Bolsonaro. Ele desmentiu o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), que chegou a afirmar que o decreto seria assinado ontem. A declaração de Doria foi dada depois de encontro dele com o presidente da República, no qual prometeu apoio do seu partido à proposta de reforma da Previdência que será enviada pelo governo ao Congresso Nacional. Em rápida conversa com jornalistas em Brasília, no entanto, Lorenzoni negou a informação dada por Doria e disse que “o decreto sobre posse de armas ainda está nos ajustes finais”.

Dessa forma, é possível que haja alterações relevantes nas versões prévias do decreto presidencial, ao qual a imprensa teve acesso nesta semana. Porém, se as prováveis novas regras forem mantidas por Bolsonaro, cada indivíduo poderá ter até duas armas em casa. O limite da posse de armas por pessoa, no entanto, ainda poderá ser ampliado, dependendo do caso, se for comprovada a necessidade de a pessoa ter mais do que dois exemplares dentro de casa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade