UAI
Publicidade

Estado de Minas

Equipe de Zema espera herdar dívida do 13º dos servidores de Pimentel

A expectativa da equipe de transição é que nenhuma parcela seja paga este ano


postado em 26/12/2018 13:38 / atualizado em 26/12/2018 13:51

Na diplomação, Zema fez referência ao estado de crise em que receberá o estado(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Na diplomação, Zema fez referência ao estado de crise em que receberá o estado (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

O 13º salário dos cerca de 600 mil servidores de Minas Gerais deve ficar integralmente para o próximo governo, que toma posse em 1º de janeiro, pagar. A cinco dias do encerramento do ano e do mandato do governador Fernando Pimentel (PT), não houve nenhuma sinalização do Executivo nem para o funcionalismo e nem para os responsáveis pela futura gestão sobre o pagamento. Segundo o coordenador da equipe de transição, vereador licenciado Mateus Simões (Novo), a expectativa do governador eleito Romeu Zema (Novo) é assumir a gestão com essa dívida, estimada em R$ 2,45 bilhões.   


“O governo Pimentel não nos deu nenhuma informação, mas não me parece que haja qualquer possibilidade de eles levantarem o dinheiro para o pagamento. E, aparentemente, eles entendem que não devem explicações aos servidores. De nossa parte, resta lamentar e aguardar o início do ano para começarmos a agir de forma a equacionar o problema financeiro do estado”, afirmou Simões nesta quarta-feira (26).

A se confirmar este cenário, o coordenador da equipe de transição de Zema também não sabe dizer como e quando o benefício natalino será creditado na conta dos servidores. Segundo ele, essa avaliação só será possível quando o governo de fato começar.

No ano de 2018, a maior parte do funcionalismo recebeu o 13º em quatro parcelas, creditadas de janeiro a abril. Apenas os integrantes da segurança e de parte da saúde teve os valores pagos em duas vezes, sendo uma em dezembro e outra em janeiro.

Escalado para as conversas, o assessor para relações sindicais do governo Carlos Calazans voltou a prometer ao funcionalismo uma resposta até esta quinta-feira, dia 17. No entanto, o governo chegou a marcar duas reuniões e a data para um comunicado sobre o 13º e até então não informou nem se alguma parcela poderá ser paga este ano.

Na última sexta-feira (21), em reunião marcada para o anúncio do 13º, o governo de Minas informou apenas que iria estender o prazo de pagamento do IPVA dos servidores para abril e confirmou o pagamento da segunda parcela da escala dos salários de dezembro, pelo mês trabalhado em novembro, para a próxima sexta-feira (28).

Acompanhe a escala de dezembro:


Para servidores da Segurança, Hemominas, Fhemig e Ipsemg

Dia 13/12: R$ 2 mil
Dia21/12: R$ 2 mil
Dia 28/12: restante do pagamento.

Para servidores das demais categorias:

Dia 13/12 (quinta-feira) – 1ª parcela de até R$ 2.000,00 para todos os servidores (ativos, inativos e pensionistas);
Dia 28/12 (sexta-feira) – 2ª parcela, o valor restante do salário para todos os servidores (ativos, inativos e pensionistas).

O pagamento do 13º segue indefinido


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade