Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Legislação trabalhista será preservada, diz Bolsonaro em entrevista

Em entrevista nesta quarta-feira (14), Bolsonaro evitou, no entanto, falar do futuro do Ministério do Trabalho, que deverá ser definido ainda hoje, conforme ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni


postado em 14/11/2018 09:48 / atualizado em 14/11/2018 10:37

Bolsonaro se reuniu nesta quarta-feira (14) com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM)(foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)
Bolsonaro se reuniu nesta quarta-feira (14) com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM) (foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) disse nesta quarta-feira, 14, que, apesar de ter interesses diferentes dos de Rodrigo Maia (DEM-RJ), que tenta viabilizar sua recondução para a presidência da Câmara, não vai interferir na eleição da mesa da Casa.

"Rodrigo tem seus interesses, eu tenho os meus. Mas não vamos interferir nas eleições da mesa como um todo. Isso não é bom para o Brasil", disse Bolsonaro em entrevista à TV Record. Apesar disso, o futuro presidente avaliou que existem "outros bons candidatos se lançando" para o cargo.

Trabalho.

Bolsonaro evitou se posicionar sobre o futuro do Ministério do Trabalho, que pode ser fundido com outras pastas. "O importante é que a legislação trabalhista será preservada, não interessa se vai ter status de ministério ou não", assegurou o presidente eleito, que reclamou dos escândalos protagonizados pela pasta recentemente. "Esse ministério foi largamente usado para ações não republicanas ao longo dos últimos anos", disse.

Na terça-feira, 13, o ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), informou que a equipe trabalha com "duas formulações" para o futuro do ministério e que pretendem chegar a uma definição ainda nesta quarta-feira.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade