Publicidade

Estado de Minas FARPAS

Pimentel diz que 'atrasa mas paga' e chama Anastasia de golpista

O governador de Minas faz campanha no Sul e no Triângulo mineiro nesse fim-de-semana


postado em 01/09/2018 16:04 / atualizado em 01/09/2018 17:12

Pela manhã, Pimentel visitou uma ocupação em Uberlândia(foto: Reprodução Facebook)
Pela manhã, Pimentel visitou uma ocupação em Uberlândia (foto: Reprodução Facebook)

O governador Fernando Pimentel (PT) faz campanha neste fim-de-semana no Sul de Minas e Triângulo, onde apresentou os feitos de sua gestão e partiu para cima do principal adversário nas urnas, senador Antonio Anastasia (PSDB).

O petista culpou o tucano pelas dificuldades no estado – que incluem os atrasos no pagamento de salários aos servidores – e por ter levado o presidente Michel Temer (MDB) ao Palácio do Planalto, com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Em discurso para aliados políticos em Três Corações na noite dessa sexta-feira (31), Pimentel chamou Anastasia de golpista pelo fato de ter sido dele o relatório pela perda do mandato da ex-presidente Dilma no Senado, no impeachment.

“Quem botou o Temer presidente é o mesmo que quer agora virar governador de Minas outra vez, foi o golpista que se chama Antonio Anastasia. Vou falar com todas as letras o nome deste golpista”, afirmou, em evento com seu ex-secretário de governo Odair Cunha (PT). O discurso foi transmitido em live no Instagram.

Pimentel disse ainda que os governos de Anastasia e do senador Aécio Neves, a quem chamou de “senhor e mestre” do adversário, foram desastrosos. Mais uma vez, o petista citou a Cidade Administrativa e o Complexo das águas de Frutal como exemplos do desperdício.

O candidato do PT falou novamente sobre o parcelamento dos salários dos servidores. Ele afirmou viver uma “angústia” todo fim do mês por falta de dinheiro e que “às vezes tem de jogar para frente um pouquinho, mas paga”. Segundo ele, seu governo arcou com 30% de aumento dado a profissionais da segurança, que veio da gestão passada, e concedeu 47% de reajuste aos servidores da educação.

Pimentel acusou o antecessor de entregar um orçamento maquiado. Disse que precisou enviar um novo orçamento ao Legislativo porque o deficit verdadeiro era de R$ 8 bilhões. “Com toda essa dificuldade ainda conseguimos mudar para muito melhor o modelo de Minas de governo”, disse.

Neste sábado (1), Pimentel visitou uma ocupação em Uberlândia onde vivem 15 mil pessoas. Pimentel disse ter levado instalação elétrica às famílias, dentro de um programa de regularização das ocupações urbanas e rurais. "Trouxemos cidadania para estas pessoas que merecem respeito e atenção do poder público", disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade