Publicidade

Estado de Minas

Pimentel diz que campanha não começou e fala em melhorar parcelamento de salários

O governador de Minas disse apostar nos recursos da securitização da dívida mineira para evitar atrasos na escala


postado em 30/08/2018 12:19 / atualizado em 30/08/2018 12:32

O governador Fernando Pimentel tem concentrado a campanha à noite e nos fins de semana(foto: Jair Amaral / EM / D.A. Press)
O governador Fernando Pimentel tem concentrado a campanha à noite e nos fins de semana (foto: Jair Amaral / EM / D.A. Press)

O governador Fernando Pimentel (PT) afirmou na manhã desta quinta-feira (30) que a campanha  ainda não começou e que aposta na propaganda de televisão e nas redes sociais para convencer os eleitores de que deve permanecer à frente do estado. O petista também falou em melhorar o parcelamento de salários nos próximos meses.

O candidato teve apenas 6 dos 20 minutos de entrevista a que teria direito na rádio Bandeirantes porque chegou atrasado. Pimentel brincou logo no início do papo dizendo que não estava “preso”, mas “retido” no trânsito de Belo Horizonte.

Questionado sobre o novo atraso nos pagamentos este mês, Pimentel disse que o problema conjuntural que envolve o assunto será resolvido provavelmente em setembro ou outubro.

“Vamos obter dinheiro suficiente para regularizar esses repasses e melhorar um pouco esse escalonamento da folha de pagamento, porque estamos fazendo uma operação financeira com os bancos”, disse. Segundo Pimentel, o estado vai passar a dívida ativa do estado a bancos para receber o dinheiro devido à vista.

“Mas é uma solução temporária. O problema estrutural da Previdência precisa de mexida nas leis e essa tem que ser feita, mas respeitando o direito dos aposentados”, disse.

Em segundo lugar nas últimas pesquisas eleitorais e com alto índice de rejeição, o petista disse que quem decide o pleito é a rua.  PA pesquisa Ibope divulgada nessa quarta-feira (29) ampliou a vantagem do senador Antonio Anastasia (PSDB), primeiro colocado, em relação a ele –  o tucano aparece com 24%, enquanto o petista tem 14%. “Mas a campanha nem começou, a campanha de TV começa sexta-feira e aí é que as coisas vão começar a engrenar”, disse.

Fantasia


O governador disse que o tempo é curto mas as redes sociais e os meios de comunicação ajudam. “Temos plenas condições de, dizendo a verdade, sem mistificação, mostrando os problemas reais do país e do estado chegar à vitória.” O petista disse que sua vitória é necessária para o bem do povo.

“O povo de Minas precisa apostar no modelo que trouxemos a Minas, de participação, diálogo e verdade, e não aceitar de volta o mundo da fantasia que prosperou nos governos Aécio e Anastasia e que nos levou ao impasse atual”, disse.

Pimentel voltou a culpar a gestão tucana e o cenário econômico do Brasil pela crise financeira do estado.  O petista disse que Anastasia extinguiu “de forma irregular” um fundo de Previdência de R$ 3,5 bilhões que hoje teria R$ 12 bilhões. Ele reafirmou ter criado uma comissão com os servidores para discutir a situação dos pagamentos de salários.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade