Publicidade

Estado de Minas

PSB registra chapa com PT e ignora Marcio Lacerda

Ex-prefeito de BH sofre derrota no TRE-MG e mantém para hoje registro de seu nome na disputa pelo governo mineiro


postado em 15/08/2018 06:00 / atualizado em 15/08/2018 16:21

(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) registrou na noite de ontem, no Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), a chapa para as eleições proporcionais da legenda em coligação federal ao lado do PT, PCdoB, PR e DC e a coligação estadual com o PT e o PR.

Os representantes do partido que foram ao tribunal defenderam a decisão da Executiva Nacional, contrária ao lançamento da candidatura de Marcio Lacerda (PSB) ao governo de Minas. O ex-prefeito, no entanto, manteve para hoje o registro de sua candidatura no mesmo TRE-MG.

A equipe de Lacerda divulgou perícia para defender que a aliança com o PT não foi votada durante o congresso nacional do PSB, ocorrido no último dia 5, em Brasília.

A Executiva Nacional e o ex-prefeito de BH brigam nas últimas semanas para decidir qual destino o PSB tomará nestas eleições.

Enquanto Lacerda defende o lançamento da candidatura própria ao governo de Minas como uma terceira via na disputa entre PT e PSDB, o comando nacional aprovou a coligação com o PT e o apoio à reeleição do governador Fernando Pimentel.

“Registramos hoje (ontem) nossa coligação proporcional federal e estadual. O grande objetivo do partido é fortalecer suas bancadas e trabalhamos para isso. Na chapa majoritária, nossa posição, definida pela convenção nacional, é apoiar o governador Pimentel”, afirmou Renê Vilela, indicado pela Executiva Nacional para assumir o controle da comissão provisória do PSB em Minas Gerais após a destituição do então presidente João Marcos Lobo.

Aliados de Lacerda questionam a posição de Vilela à frente do PSB mineiro e citam uma decisão do TRE-MG que barrou a intervenção na comissão estadual.

Ontem, em novo capítulo do imbróglio que envolve o partido, o TRE-MG negou pedido de liminar apresentado por Lacerda, que pedia para que a ata enviada pela direção nacional não fosse aceita no tribunal e que fossem asseguradas duas candidaturas do PSB. Para Vilela, o ex-prefeito tenta tumultuar o processo ao não aceitar a decisão da Executiva Nacional.

“Não sei como Lacerda, uma pessoa física e não um partido, vai registrar uma candidatura no TRE. O PSB já está registrando sua posição para a eleição de 2018 e existe só um PSB. Lacerda está passando por uma fase instável e demonstra um grande desrespeito com o processo eleitoral. Caso ele consiga registrar sua candidatura amanhã (hoje), nós vamos pedir a impugnação”, afirmou Renê Vilela.

Ele afirma que ainda espera que Lacerda reveja seu posicionamento e participe da chapa do PT como candidato ao Senado, proposta que vem sendo duramente rejeitada pelo ex-prefeito.

Na decisão, o juiz do TRE-MG Nicolau Lupianhes Neto afirmou que o procedimento para análise do tema será após o registro das candidaturas e não em forma de tutela antecipada.

Advogados do ex-prefeito de BH avaliaram que a decisão apenas postergou o julgamento do tema para depois dos registros das candidaturas, sem entrar no mérito da disputa com a Executiva Nacional do PSB. Uma outra ação impetrada por Lacerda tramita no TSE e pode ser julgada no plenário do tribunal a partir de quinta-feira, assim que for liberada pelo ministro-relator do caso, Napoleão Nunes Maia.

Lacerda afirmou ontem que levará hoje ao TRE-MG um plano de governo elaborado, segundo ele, após participar de cerca de 1 mil reuniões pelo estado.

 

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade