Publicidade

Estado de Minas

Bancada do MDB de Minas se reúne com Jucá para tratar de eleições no estado

Preocupação dos parlamentares é que o partido fique com menos cadeiras na Câmara e na Assembleia, dependendo das alianças que fechar


postado em 26/06/2018 19:45 / atualizado em 26/06/2018 20:49

(foto: Marcos Oliveira/Agencia Senado )
(foto: Marcos Oliveira/Agencia Senado )

A sucessão ao governo do estado motivou uma reunião da bancada federal do MDB de Minas com o presidente do partido, senador Romero Jucá, nesta terça-feira. De acordo com parlamentares presentes, o encontro foi para ouvir as demandas e exigências dos deputados para a garantir que a legenda “não encolha” depois de outubro, ocupando menos cadeiras na Câmara dos Deputados e Assembleia.

Outro encontro foi agendado para a terça-feira da próxima semana, em Brasília. Desta vez, como a presença também da bancada estadual da legenda.

De acordo com deputado Fábio Ramalho (MDB), a grande preocupação que ronda os quadros do partido é a possibilidade de os pré-candidatos da legenda – o vice-governador Antônio Andrade, o deputado federal Leonardo Quintão e o presidente da Assembleia, Adalclever Lopes – fecharem alianças que possam prejudicar o desempenho nas urnas e eleger menos parlamentares que no último pleito.

“A bancada está unida no sentido de ter uma solução. A verdade é que maioria dos parlamentares está preocupada”, disse.

Na semana passada, parlamentares do MDB lançaram um manifesto em que exigem dos eventuais pré-candidatos do partido ao governo de Minas que, ao colocar os nomes para a disputa, também apresentem as eventuais legendas com as quais pretendem fechar aliança.

O manifesto é assinado pelos deputados federais Mauro Lopes, Saraiva Felipe, Newton Cardoso Jr. , Leonardo Quintão e Fábio Ramalho. No documento, eles alegam que a condição representa a “vontade majoritária da base emedebista” e dão prazo até 15 de julho para que as legendas e os nomes de quem vai compor a chapa sejam apresentados.

“Desta forma, o partido disporá de tempo para escolher a opção que melhor promova o crescimento da legenda e das bancadas”, afirmam os deputados.

Ainda no manifesto, os cinco parlamentares alegam que o atendimento à condição “fortalecerá a convicção de candidatura própria”. Contudo, eles ameaçam que, se o disposto não for aplicado, o partido pode caminhar para apoiar a candidatura de outros partidos, que “viabilizem os objetivos originais do MDB e de toda a bancada”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade