Publicidade

Estado de Minas

Minas Gerais terá eleições para prefeito em mais três cidades este mês

Os eleitores de Santa Luzia, Timóteo e Itanhomi voltarão às urnas no dia 24. Os votos serão disputados por 13 candidatos


postado em 04/06/2018 10:38 / atualizado em 04/06/2018 16:07

Em Santa Luzia, os eleitores votam para substituir Roseli Pimentel, que está em prisão domiciliar(foto: Prefeitura de Santa Luzia / Divulgação)
Em Santa Luzia, os eleitores votam para substituir Roseli Pimentel, que está em prisão domiciliar (foto: Prefeitura de Santa Luzia / Divulgação)

Em duas semanas, quase 200 mil eleitores de mais três cidades mineiras também voltam às urnas para escolher novos prefeitos. Por causa da cassação ou inelegibilidade dos escolhidos em 2016, novos pleitos foram marcados para 24 de junho em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Timóteo e Itanhomi,  no Vale do Rio Doce. Foram registradas as candidaturas de 13 coligações.

O caso mais emblemático é o da ex-prefeita de Santa Luzia, Roseli Pimentel (PSB), que renunciou ao cargo em 24 de maio após 250 dias de cumprimento de prisão preventiva, convertida em prisão domiciliar.  Em carta à Câmara Municipal, ela disse não ter mais condições de lutar pelo mandato.

A chapa de Roseli, que tem Fernando César Vieira como vice, foi cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais em cinco processos por abuso de poder econômico na campanha, com gasto excessivo de publicidade institucional.

A prefeita também é acusada pagar pelo assassinato do jornalista Maurício Campos Rosa, do jornal O Grito, usando recursos públicos e teve seu impeachment pedido na Câmara Municipal.

Na cidade, seis chapas pediram o registro de candidatura. Christiano Xavier (Coligação Renovar com Segurança), Sandro Coelho (Somos todos luzienses), Abraão Gracco (Rede), Suzane Duarte (Juntos somos mais fortes), Aguinaldo Campos (PSDB) e João Rasgado (PSOL).

Quatro concorrem em Timóteo

Em Timóteo, o prefeito Geraldo Hilário Torres (PP) concorreu sub judice por estar inelegível pela Lei da Ficha Limpa. Ele tem uma condenação de 2008 por abuso de poder econômico. Eleito, ele tomou posse amparado por liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes e ficou no cargo até maio deste ano, quando o Tribunal Superior Eleitoral cassou a decisão.

Os candidatos à vaga do prefeito, que disputam votos em 24 de junho, são Adriano Costa Alvarenga (PMB), Carlos José de Vasconcelos Silva (PCdoB), Douglas Willkys Alves Oliveira (PSB) e Renato Martins Araújo (PMDB).

Itanhomi

As eleições em Itanhomi foram marcadas porque o prefeito Jaeder Carlos Pereira (PSDB) e o vice Paulo Tarcísio de Andrade Nogueira (DEM) foram cassados pelo TRE por abuso de poder econômico. De acordo com a ação de investigação eleitoral, os dois foram beneficiados em setembro de 2016 por uma festa com show de uma dupla sertaneja custeada por um apoiador da campanha. Também foram acusados por um evento de colocação de adesivo em veículos com distribuição de comida e bebida.

Concorrem em Itanhomi Antonielei Costa Maia, pelo PT,  Raimundo Francisco Penaforte, pelo MDB, e Hilda Rosane Lopes Gomes, do DEM.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade