Publicidade

Estado de Minas

Alexandre Frota diz que ação movida contra ex-ministra foi julgada com a ´b...'

Derrotado em segunda instância nesta terça-feira, ator contestou decisão que suspendeu multa de R$ 10 mil concedida a ele por danos morais


postado em 24/10/2017 16:56 / atualizado em 24/10/2017 17:03

(foto: Internet/Reprodução)
(foto: Internet/Reprodução)

O ator Alexandre Frota usou as redes sociais para criticar decisão da Justiça, em segunda instância, em ação movida por ele contra a ex-ministra da Secretaria de Políticas para Mulheres Eleonora Menicucci.


“Esse juiz julga com a bunda, e não com a cabeça”, postou o ator em sua conta no Twitter. Ele ainda disse que o juiz é um “ativista gay militante do PT”.

Alexandre Frota ainda chamou Eleonora Menicucci de "abortista terrorista amiga de Dilma Rousseff".

Em maio, a juíza Juliana Nobre Correia, de São Paulo, havia condenado a ministra a pagar indenização de R$ 10 mil  ao ator por danos morais. A audiência desta terça-feira reuniu Menicucci e Frota.

A ex-ministra do governo Dilma Rousseff (2011/2016) foi processada por ter criticado o ministro da Educação, Mendonça Filho, ao receber Frota em seu gabinete, em 25 de maio do ano passado.

Em um programa de TV, Alexandre Frota admitiu ter estuprado uma mãe de santo, que desmaiou em decorrência da pressão que ele fez em sua nuca durante o ato.

Na época do encontro do ator com o ministro da Educação, Eleonora afirmou que ele "não só assumiu ter estuprado, mas também faz apologia ao estupro".

Nas redes sociais, a ex-ministra comemorou a decisão.

“Essa vitória não me pertence. Pertence às mulheres brasileiras. Essa vitória foi a condenação do estupro e a absolvição das mulheres brasileiras. Essa luta saiu de mim, é uma luta das mulheres brasileiras, da sociedade brasileiras, é uma luta pela democracia, em favor da justiça social, dos direitos humanos das mulheres e a favor, sem dúvida nenhuma, de todas as mulheres. Meu mais profundo agradecimento à todas as mulheres brasileiras. Tenho honra de ser uma mulher de 73 anos, que já viveu dois golpes nesse pais, e hoje enfrentou essa luta em nome do compromisso com as mulheres brasileiras. Eu não preciso dedicar a elas. É delas, porque foi com elas que eu aprendi a lutar. Me sinto ainda mais comprometida com a democracia, pelo retorno do estado democrático de direito e contra o golpe que tirou a primeira mulher eleita e reeleita presidenta deste país. Viva as mulheres brasileiras.”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade