Publicidade

Estado de Minas

Lacerda concede aumento para primeiro escalão da Prefeitura de BH

No último dia do ano, o prefeito Márcio Lacerda (PSB) aumenta em 25,86% salários do primeiro escalão da prefeitura e sanciona reajuste para vereadores


postado em 31/12/2016 16:45 / atualizado em 31/12/2016 17:34

Segundo levantamento da prefeitura, que Marcio Lacerda deixa neste sábado (31), o impacto financeiro do aumento será de R$ 29,2 milhões para os cofres públicos somente em 2017(foto: Ricardo Laf /Divulgação )
Segundo levantamento da prefeitura, que Marcio Lacerda deixa neste sábado (31), o impacto financeiro do aumento será de R$ 29,2 milhões para os cofres públicos somente em 2017 (foto: Ricardo Laf /Divulgação )

O prefeito Marcio Lacerda (PSB) concedeu em seu último dia à frente da Prefeitura de Belo Horizonte um aumento de 25,86% no salário do primeiro escalão da administração municipal. A partir de 2017, a remuneração do prefeito passa de R$ 24,7 mil para R$ 31,1 mil. O vice-prefeito e os secretários passam a ter salário de R$ 20,8 mil, antes era R$ 16,5 mil. Já os consultores técnicos especializados e secretários adjuntos, que hoje recebem R$ 13,5 mil, receberão R$ 17,1 mil. Assessores especiais também tiveram reajuste, com o salário saindo de R$ 11,5 mil para R$ 14,5 mil. O reajuste dos vereadores de 9,8%, que tinha sido aprovado na Câmara,  foi sancionado e o parlamentares vão receber R$ 16,5 mil, antes eles recebiam R$ 15 mil.

O ato do prefeito foi divulgado na edição de hoje do Diário Oficial do Município. Segundo levantamento da prefeitura, o impacto financeiro do aumento será de R$ 29,2 milhões para os cofres públicos somente em 2017. Ao todo, 501 pessoas, entre funcionários na ativa e aposentados, serão beneficiados pelo reajuste concedido no último dia de mandato de Lacerda.

O prefeito determinou ainda que os aumentos salariais, antes feitos no final de cada legislatura, ou seja, a cada quatro anos, passem a ser feitos anualmente, de acordo com os índices inflacionários. Alguns vereadores apostavam que Lacerda deixaria a sanção do projeto a cargo de Alexandre Kalil, que assume a prefeitura neste domingo, e se mostraram surpresos com o aumento de 25%, que não estava previsto no texto aprovado na Câmara, para o primeiro escalão.

Na edição do Diário Oficial do Município, o prefeito justifica o aumento ressaltando que os subsídios do alto escalão da prefeitura de Belo Horizonte estava defasado desde 2012. Marcio Lacerda não atendeu aos telefonemas da reportagem do Estado de Minas e a assessoria de imprensa da prefeitura não se manifestou sobre o reajuste. A lei sancionada determinou ainda o reajuste de 5% para cerca de 60 mil funcionários, ativos e inativos, da PBH.

Há duas semanas, os vereadores da Câmara de BH aprovaram um projeto que concedia reajuste de 9,3% em seus salários e para o primeiro escalão do governo. Na sessão, que durou poucos segundos, 25 vereadores foram favoráveis ao aumento, e apenas sete se manifestaram contra. O aumento gerou duras críticas por parte da população, que não concorda com os reajustes para a classe política em momento de contenção de gastos em todo o país.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade