Publicidade

Estado de Minas

Depois de quase 30 dias, prefeito de Betim reassume e causa surpresa

Mesmo depois de Carlaile Pedrosa ter despachado com aliados políticos, oposição questiona sua condição de se manter no cargo


postado em 19/01/2016 06:00 / atualizado em 19/01/2016 07:25

O tucano despachou em seu gabinete (E), cumprimentou auxiliares e moradores (foto: Reprodução/Facebook)
O tucano despachou em seu gabinete (E), cumprimentou auxiliares e moradores (foto: Reprodução/Facebook)

Depois de 29 dias sem aparecer em seu gabinete, o prefeito de Betim, Carlaile Pedrosa (PSDB), finalmente, foi nessa segunda-feira (18) ao centro administrativo do município da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Desde que sofreu um acidente vascular cerebral (AVC), em 21 de dezembro, ele não tinha sido visto em público e levou vereadores e até o vice-prefeito, Waldir Teixeira (PHS), seu adversário político, a denunciar  seu “desaparecimento”. Mas a visita do chefe do Executivo não satisfez a oposição, que ainda questiona se Carlaile está apto a comandar a cidade.

O prefeito surpreendeu boa parte dos servidores ao chegar ao gabinete pela manhã. Ele estava caminhando sozinho, sem cadeira de rodas ou muleta. Despachou com secretários, reuniu-se com alguns vereadores e tirou fotos com funcionários públicos no gabinete e nos corredores da prefeitura. Os registros da visita foram postados na página oficial da prefeitura no Facebook.

Durante o período em que esteve longe da sede do Executivo, o prefeito continuou despachando, mesmo estando internado num hospital de Belo Horizonte. A procuradora-geral do município, Clélia Coura Horta, reconheceu que, nesse intervalo, foram publicados decretos sem a assinatura do prefeito – três deles somam quase meio milhão de reais. Os atos foram anulados. Carlaile também sancionou a Lei Orçamentária Anual (LOA) e a doação de imóveis num total de R$ 96,7 milhões para abater dívida com o Instituto de Previdência Social do Município de Betim (Ipremb).

Moradores também se queixaram que, junto com a crise econômica, o “sumiço” comprometeu serviços públicos e levou ao atraso de verbas para educação. De acordo com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), na última sexta-feira, a promotora de Betim Ana Luiza da Costa solicitou informações sobre o prefeito à administração municipal, que tem 10 dias para responder.

“O prefeito está 95% normal. Está lúcido e só no linguajar é que troca letras, como se fosse um erro de digitação”, reforça o presidente da Câmara, Marcão Universal (PSDB), correligionário do tucano e um dos parlamentares presentes na reunião com Carlaile. No fim de semana, o prefeito havia visitado Marcão na casa do vereador, que também está se recuperando de cirurgia na coluna.

Na quinta-feira (14), em entrevista ao Estado de Minas, o médico de Carlaile, o neurologista Gustavo Daher, ressaltou que o AVC comprometeu apenas a fala do prefeito, sem qualquer dano cognitivo. Segundo o especialista, a recuperação está quase completa, mas, por precaução, ele pediu ao chefe do Executivo menos exposição pública para evitar estresse.

Junta médica


A visita, entretanto, não convenceu vereadores que, na semana passada, denunciaram o “desaparecimento” ao MPMG, à Polícia Federal (PF) e ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). “Só foto de internet não garante nada. Ele não assumiu o posto de trabalho. Defendemos a tese de que é preciso fazer uma junta médica que ateste o estado de saúde do prefeito”, afirma o vereador Antônio Carlos (PT). “Por que até hoje diretores das escolas municipais não tomaram posse?”, questiona.

O vice-prefeito considera que a ida de Carlaile à prefeitura como um avanço, mas ainda põe em dúvida a capacidade de o adversário administrar Betim. “Melhor assim (Carlaile ter ido), pois o povo não tinha visto ele ainda. Torço para que ele esteja bem de saúde. Mas me falaram que o prefeito não conversou com o pessoal. Agora vamos ver se ele tem pique para voltar”, afirma. Desde 2014, quando Waldir assumiu a prefeitura enquanto Carlaile estava afastado por problemas de saúde, os dois se tornaram oponentes. O EM tentou, sem sucesso, contato com o prefeito Carlaile Pedrosa.



 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade