Publicidade

Estado de Minas

Movimentos sociais divulgam documento em defesa do candidato do PT, Patrus Ananias

Manifestos dão o tom da campanha


postado em 19/07/2012 06:00 / atualizado em 19/07/2012 08:51

Depois de 34 deputados assinarem um manifesto favorável à reeleição de Marcio Lacerda (PSB) acusando Patrus Ananias (PT) de ser “desrespeitoso e arrogante”, ontem foi a vez de partidários da candidatura do petista lançarem um documento. O manifesto, que louva os anos de administração de Patrus na capital, foi apresentado nessa quarta-feira à noite e assinado por sindicatos de trabalhadores e movimentos de luta pela habitação popular, direitos das mulheres, juventude, população negra, LGBT, idosos, portadores de deficiência e agentes da cultura

O texto traça um breve currículo de Patrus – “advogado militante das causas sociais, sindicais e dos direitos humanos, professor universitário, companheiro e amigo da presidente Dilma” – e destaca a gestão do ex-prefeito (de 1993 até 1996). “Liderou um processo de mudanças na cidade que melhorou a vida de nosso povo. Junto com partidos democráticos e populares, com movimentos sociais apartidários, com a intelectualidade progressista e com amplo apoio da população foram inaugurados espaços e processos inéditos de governo”, afirma o manifesto.

O documento que apoia Lacerda foi elaborado pelo deputado estadual João Vítor Xavier (PRB) e enumera obras feitas na cidade deixando de citar Patrus e o ministro da Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior, Fernando Pimentel (PT). Cita o ex-presidente Juscelino Kubitschek, Américo Renné Giannetti, Celso Melo Azevedo, Oswaldo Pierucetti, Maurício Campos, Hélio Garcia, Sérgio Ferrara, Pimenta da Veiga, Eduardo Azeredo e Célio de Castro, todos ex-prefeitos da capital.

“Belo Horizonte precisa de um governante com estatura política, moral e humana que saiba cuidar dos recursos da população com prioridades sociais. Essa é a diferença”, afirma o texto em defesa de Patrus. O ataque é uma referência direta a Lacerda, com trajetória de sucesso na iniciativa privada.

O manifesto dos petistas destaca que “as pessoas mais pobres” tiveram atenção especial no governo de Patrus. “A população de rua, os movimentos sociais e sindicais e o povo em geral passam a ser tratados com respeito”, afirma. “Muitos dos programas e políticas aqui efetivados serviram de exemplo e foram implementados pelo governo Lula. O Bolsa Escola e a política de segurança alimentar tornaram-se uma dessas referências”, complementa.

O plano do comitê responsável pelos movimentos sociais da campanha de Patrus é imprimir 1 milhão de cópias do manifesto aprovado durante a reunião. Antes, porém, o documento passará pelo crivo da equipe do marqueteiro João Santana.

Agenda

Patrus passou todo o dia em reuniões com conselheiros de diferente áreas e hoje ele se encontra com dom Walmor Azevedo, arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, às 16h. No sábado, haverá passeata na Região Noroeste e no domingo no Bairro Cabana do Pai Tomáz. De acordo com o coordenador da campanha, o vice-prefeito Roberto Carvalho (PT), na semana que vem a campanha de Patrus iniciará plenárias em todas as regionais da cidade, sendo que a primeira deve ser no Barreiro. Também na segunda-feira Patrus iniciará as gravações do programa eleitoral gratuito, sob a coordenação de João Santana.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade