Publicidade

Estado de Minas

Lacerda pode ter dois minutos a mais na propaganda na TV e rádio

Coligações que apoiam o socialista Marcio Lacerda e o petista Patrus Ananias terão mais de dois terços do horário na televisão e no rádio


postado em 18/07/2012 06:00 / atualizado em 18/07/2012 08:50

O vaivém dos partidos nas coligações que disputam a Prefeitura de Belo Horizonte movimenta o cenário político da eleição e afeta diretamente um dos fatores mais importantes para as legendas: o tempo de propaganda na televisão e no rádio. A última mudança na formação das chapas foi decidida pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que proibiu a interferência nacional do PSD pró-Patrus Ananias (PT) no diretório da legenda em BH, que apoia Marcio Lacerda (PSB), e deve representar cerca de dois minutos a mais para o socialista. Enquanto as duas principais coligações brigam por apoios que poderão significar minutos a mais na mídia, as pequenas legendas planejam estratégias para usar bem o pouco tempo a que terão direito.

Como o tempo de TV e rádio poderá passar por novas mudanças nas próximas semanas, caso a Justiça Eleitoral altere a decisão sobre o PSD ou outros partidos rachados entre as chapas de Patrus e de Lacerda, até agora há apenas estimativas sobre quanto cada uma terá disponível no horário político. A chapa do atual prefeito tem mais de 14 minutos – já considerando o apoio do PSD –, cinco a mais do que a do ex-prefeito petista, que ficou com pouco menos de nove minutos. Com bem menos tempo, estão outras cinco candidaturas, que chegam a sete minutos. 

A definição final de quanto cada coligação terá disponível nos 30 minutos reservados no horário político só sairá no fim do mês, quando o TRE se reunirá com representantes de cada legenda para calcular a quanto tempo cada uma terá direito, além de sortear a ordem de veiculação da propaganda de cada candidato. Segundo a Lei de Eleições  (9.504/97), os horários reservados nos 45 dias anteriores à antevéspera das eleições – neste ano será 21 de gosto – serão distribuídos entre os partidos e coligações que tenham candidato e representação na Câmara dos Deputados, sendo que um terço do tempo será dividido de forma igualitária e dois terços proporcionalmente ao número de representantes na Câmara.


Mão na massa

Esperar a definição do TRE, no entanto, pode significar uma correria ainda maior para os coordenadores de campanha nas semanas que antecedem o início da propaganda eleitoral gratuita e, por isso, as equipes já trabalham para organizar seus candidatos e preparar os vídeos e inserções que serão levadas ao ar. “Ainda não temos a confirmação de quanto tempo teremos. Essa definição será em cima da hora, mas já estamos trabalhando com estimativas e dividindo este tempo pelos 970 candidatos que teremos. É um trabalho matemático mesmo e, apesar de serem muitas ideias diferentes para a campanha, na maioria dos casos na disputa para vereador, temos de trabalhar com frases ou até gravações com o número e o nome do candidato”, explica Maninha Pereira, coordenadora das produções para a televisão e rádio da coligação BH Segue em Frente.

A movimentação é parecida mesmo para aqueles partidos que se preparam para a disputa nas urnas sem apoio de outras legendas. No PSTU, que lançará a candidata Vanessa Portugal, a previsão é de que o tempo de TV e rádio será de pouco mais de um minuto e meio, o que, segundo a equipe de campanha, exigirá trabalho mais objetivo para explorar as propostas dos quatro candidatos à Câmara Municipal. “Estamos pensando em programas temáticos e já estabelecemos que as questões da saúde, educação e moradia serão priorizadas no horário eleitoral. É uma peleja concorrer com verdadeiras novelas produzidas pelas grandes coligações, por isso temos de ser o mais direto possível”, afirma Pedro Valadares, coordenador de campanha do PSTU.

 

Vereador
A Lei das Eleições define quais serão os dias destinados para a propaganda gratuita na televisão e rádio. Às terças e quintas-feiras e aos sábados o espaço é reservado aos candidatos a vereador. Já nas segundas, quartas e sextas-feiras, são os prefeitos que têm tempo garantido por lei para apresentar suas propostas aos eleitores. Aos domingos, apesar de não haver horários obrigatórios reservados para propaganda eleitoral, os partidos podem transmitir inserções durante a programação. Os horários também já estão definidos: das 7h às 7h30 e das 12h às 12h30 no rádio e das 13h às 13h30 e das 20h às 20h30 na televisão. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade