Publicidade

Estado de Minas

Manifesto rebate petista na campanha eleitoral em BH

Partidos aliados a Lacerda chamam Patrus Ananias de arrogante por ter reivindicado a paternidade das ações que deram certo em BH


postado em 17/07/2012 06:00 / atualizado em 17/07/2012 08:16

Deputados federais e estaduais que apoiam a candidatura à reeleição do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB) ,divulgaram nessa segunda-feira um manifesto com críticas ao candidato do PT, Patrus Ananias. O documento, que conta com o apoio de 34 deputados estaduais e federais, classifica como “desrespeitosa e arrogante” a declaração de Patrus, feita sábado, durante caminhada pela Região de Venda Nova, de que “o que existe de importante em Belo Horizonte” começou durante sua administração. Desde o início oficial da campanha, os dois candidatos disputam a paternidade de programas desenvolvidos pela prefeitura.

Elaborado pelo deputado estadual João Vitor Xavier (PRP), o documento elenca obras feitas por administrações anteriores à de Lacerda, começando pelo ex-presidente Juscelino Kubitschek, prefeito de Belo Horizonte na década de 40, que tiveram ações positivas para a cidade. “O PT age como se todas as conquistas de Belo Horizonte tivessem sido feitas somente por Patrus”, critica o parlamentar, se referindo ao candidato do PT que foi prefeito da capital mineira entre 1993 e 1996. “Querer apagar a história é um desrespeito com o povo de Belo Horizonte”, diz o documento, que critica a escola plural, implantada pela gestão de Patrus, e não cita o governo do ex-prefeito Fernando Pimentel, hoje ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, um dos apoiadores da campanha de Patrus.


Questionado sobre o manifesto, Lacerda disse que o documento era de iniciativa dos deputados e não contou com sua participação. “O manifesto não foi ideia minha. Ele expressa apenas a opinião dos deputados estaduais e federais da nossa coligação.” Lacerda disse que não vai disputar paternidade de nenhum projeto durante a campanha e que pretende apenas apresentar para o eleitor o que ele fez durante seu mandato e o que pretende fazer nos próximos quatros anos. “Da minha parte não há briga por paternidade. Pretendo não entrar nesse tipo de polêmica, acho mais interessante olhar para a frente.” Lacerda também garantiu que pretende fazer uma campanha sem ataques, voltada para a discussão dos problemas da cidade. “Vamos focar no que fizemos nesses três anos e meio. Não quero fazer campanha contra a, contra b, nem em desfavor de ninguém”, assegurou. Lacerda disse que a campanha vai ser “muito dura”, por isso é importante o apoio “desde o mais simples cidadão até o deputado mais votado”.


O presidente do PSDB, deputado federal Marcus Pestana, aproveitou o encontro de ontem para rebater o argumento de que as eleições na capital serão nacionalizadas e que o resultado pode interferir na disputa de 2014, quando serão eleitos presidente e governadores. “Estamos tratando do presente e do futuro de Belo Horizonte para o período de 2013 a 2016. Qualquer discussão além dessa é falsa”, afirmou. Lacerda disse que um dos seus principais cabos eleitorais, o senador Aécio Neves, pré-candidato à sucessão de Dilma Rousseff, vai participar das caminhadas e ações da campanha, mas que a agenda desses eventos ainda não foi fechada.


Publicidade