Publicidade

Estado de Minas 'MARKETING DA LACRAÇÃO'

Presidente da Fundação Palmares diz que estrela da Heineken 'é do PT'

Sérgio Camargo criticou campanha da cervejaria em defesa diversidade: 'Marketing da lacração para minorias doutrinadas'


28/04/2021 10:25 - atualizado 29/04/2021 08:17

"A estrelinha vermelha, primeira da série, é o PT", disse o presidente da Fundação Palmares no Twitter, referindo-se ao símbolo da Heineken (foto: Twitter/Reprodução)


Segundo o presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, a estrela vermelha que caracteriza o logotipo da cervejaria holandesa Heineken, erguida em 1864, é uma alusão ao símbolo do Partido dos Trabalhadores (PT). A sigla foi fundada por sindicalistas na capital paulista em 1980. 

A comparação consta em um tweet publicado nessa segunda-feira (25/4) pelo dirigente da fundação vinculada ao Ministério da Cultura. No post, Camargo critica uma campanha em prol da diversidade divulgada pela gigante europeia nas redes sociais.

A peça diz: "Juntes brilhamos mais". A frase usa a controversa linguagem neutra, cuja proposta é incluir pessoas e coletivos que não se identificam com os gêneros masculino e feminino. Sérgio classificou a propaganda como uma "palhaçada". 

"Não estou junto dessa palhaçada! Isso é marketing da lacração. A estrelinha vermelha, primeira da série, é o PT. A holandesa Heineken deveria respeitar a língua oficial do país onde atua e fatura alto, em vez de degradá-la para bajular minorias doutrinadas, ressentidas e ignaras!"
 
 

Desde que assumiu o cargo, em janeiro de 2019, Sérgio Camargo distribui farpas, ofensas e controvérsias sem economia. Em fevereiro de 2020, ele demitiu por telefone funcionários negros da fundação, sob o argumento de que precisava montar uma equipe de confiança, de extrema-direita.

Em maio do ano passado, Camargo repudiou Zumbi, o líder do Quilombo dos Palmares e que dá nome à instituição que ele atualmente dirige.

Um mês depois, o gestor chamou o movimento negro brasileiro de "escória maldita" formada por "vagabundos".

Em novembro, excluiu Gilberto Gil, Elza Soares e Martinho da Vila da lista de personalidades negras ilustres, afirmando que, dali em diante, o 'Brasil finalmente teria orgulho'.

"Luta pela diversidade"

Procurado pela reportagem, o grupo Heineken destacou que a campanha publicitária não visa apoiar partidos políticos e justificou o uso da linguagem neutra. 

"O Grupo HEINEKEN esclarece que o objetivo do conteúdo em questão foi apoiar a luta pela diversidade, em linha com um de seus mais importantes valores, o Respeito, e acreditando que cada um é livre para ser quem realmente é. O Grupo tem utilizado a linguagem neutra em comunicações institucionais de apoio à causa como uma forma de inclusão e nunca com desrespeito à língua portuguesa ou com conotação política".

Em 2017, a cervejaria já havia emitido um comunicado negando o significado político da estrela vermelha de seu logotipo - à época, associada ao comunismo pelo primeiro-ministro da Hungria, Víktor Orbán. Nacionalista e ultraconservador, ele pretendia proibir o uso de símbolos que considerava totalitários em território húngaro.

Na nota divulgada na ocasião, a Heineken afirmou que o principal significado da estrela vermelha é "um ânimo festivo, quente e alegre".

O primeiro logo da cervejaria não incluía esta forma geométrica. A estrela, inicialmente branca, passou a integrar a marca em 1884, vinte anos após a fundação da companhia. A versão vermelha surgiu em 1930. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade