UAI
Publicidade

Estado de Minas SERRA DO CURRAL

Vereadores fiscalizam riscos de mineração a abastecimento de água em BH

Comissão de Meio Ambiente, Defesa dos Animais e Política Urbana da Câmara Municipal de BH aponta que a mineração pode trazer riscos aos fornecimento de água


03/06/2022 12:27 - atualizado 03/06/2022 17:18

Comissão e outros participantes à visita técnica na Serra do Curral
Estiveram presentes a Vereadora Duda Salabert (PDT) e o Vereador Marcos Crispim (PP), além disso, o diretor-geral do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), Marcelo da Fonseca, e a Deputada Estadual Andréia de Jesus (PT) também foram à visita técnica (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Vereadores da Comissão de Meio Ambiente, Defesa dos Animais e Política Urbana junto com ambientalistas estiveram fiscalizando os riscos que a mineração da empresa Taquaril Mineração S.A (Tamisa) pode trazer ao fornecimento de água dos moradores de Belo Horizonte e Região Metropolitana. 

A visita técnica aconteceu na manhã desta sexta-feira (3/6) e tinha o intuito de verificar os riscos à Adutora do Rio das Velhas, sistema que fornece água para cerca de 70% da população de Belo Horizonte e 40% da Região Metropolitana. Estiveram presentes a Vereadora Duda Salabert (PDT) e o Vereador Marcos Crispim (PP), ambos integrantes da comissão. 

Além disso, o diretor-geral do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), Marcelo da Fonseca, e a Deputada Estadual Andréia de Jesus (PT) também foram à visita técnica.
 
Visita tecnica na Serra do Curral
Visita técnica buscou avaliar os riscos da mineração para o abastecimento de água à população de Belo Horizonte e Região Metropolitana (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
 

"A estrutura de mineração da Tamisa, aqui na Serra do Curral, quer se instalar dois quilômetros da adutora de água que abastece 70% de Belo Horizonte e embaixo dela passa o Córrego Cubango que é fundamental para a segurança hídrica de BH", explicou a vereadora.

A preocupação dos ambientalistas é que não há um plano de contingência ou de emergência para garantir o abastecimento hídrico da população, em caso de acidentes, e além disso não existe uma análise técnica de risco, elaborada pela Copasa. 

"Esse empreendimento minerário não traz nada referente à segurança hídrica caso ocorra o rompimento ou o colapso da estrutura, por isso nós estamos trazendo essa visita técnica para mostrar esses problemas a fim de fortalecer essa luta para frear o avanço da mineração na Serra do Curral", destaca Salabert.

A comissão visitou três pontos na manhã de hoje: Córrego do Cubango, as bacias de contenção de sedimento e a estação do sistema do Rio das Velhas.
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade