UAI
Publicidade

Estado de Minas EPIDEMIA

Neves está em situação de alerta para risco de infestação da dengue

Até o início de maio, a cidade da Grande BH registrou 540 casos prováveis da doença e confirmou 32 casos


18/05/2022 19:24 - atualizado 18/05/2022 19:35

Caminhão recolhe entulhois
Os bairros que apresentaram as maiores infestações são: Vila Bispo de Maura, Granjas Primavera, Elizabeth, Pedra Branca, Rosaneves, Maria Helena, Florença, Santinho e Nova Pampulha (foto: Prefeitura de Ribeirão das Neves)

Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, está em estado de alerta para a ocorrência de epidemia de dengue. O município registrou um percentual de 2,3% no Levantamento de Infestação Rápido do Aedes aegypti (LIRAa).

O LIRAa é uma metodologia que ajuda a realizar a identificação de áreas com maiores índices de infestação do mosquito Aedes aegypti. E o percentual preconizado pelo Ministério da Saúde é abaixo de 1%.
A pesquisa foi realizada em 128 localidades no período de 25 a 29 de abril. Os bairros que apresentaram as maiores infestações são: Vila Bispo de Maura, Granjas Primavera, Elizabeth, Pedra Branca, Rosaneves, Maria Helena, Florença, Santinho e Nova Pampulha.

A prefeitura destaca que a Região Sanitária IV, em Justinópolis, até o presente momento, concentra o maior número de casos suspeitos e confirmados.

Ainda de acordo com o poder público, até o dia 2 de maio, a cidade registrou 540 casos prováveis de dengue. Deste total, 32 casos foram confirmados, 120 descartados e nenhum registro de óbitos.

Em relação à Chikungunya, há  103 casos prováveis da doença notificados, dos quais 43 foram confirmados e 28 descartados. São 88 casos em investigação e não há nenhuma morte confirmada.

Quanto ao vírus da Zika, foram registrados quatro casos prováveis, sendo quatro descartados.

Como se cuidar


A prefeitura ressalta que os focos do mosquito, na grande maioria, são encontrados dentro de casa, quintais e jardins. Por isso, a importância da limpeza desses locais, e que o combate ao mosquito é permanente.

Pelo menos uma vez por semana deve ser feita uma faxina nas residências para eliminar copos descartáveis, tampas de refrigerantes e outros recipientes. Além de não deixar água acumulada em pneus, calhas e vasos, lavar bem a caixa d'água e vedar, e sempre deixar as garrafas cobertas ou de cabeça para baixo.

O poder público alerta que as pessoas que apresentarem os sintomas da doença devem procurar o serviço de saúde mais próximo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade