UAI
Publicidade

Estado de Minas VISITA INESPERADA

Capturas inusitadas: jiboia de 2m em quintal e cobra-cipó em motor de carro

A jiboia foi encontrada em Montes Claros, no Norte de Minas; já a cobra-cipó foi capturada em Araguari, no Triângulo Mineiro


29/03/2022 15:47 - atualizado 29/03/2022 16:01

Jiboia com viatura dos Bombeiros ao fundo
Jiboia estava enrolada no galho de uma árvore, que precisou ser cortado para capturar o animal, em Montes Claros (foto: Reprodução de vídeo/Corpo de Bombeiros)
Já pensou em acordar e dar de cara com uma jiboia de aproximadamente 2 metros no quintal da sua casa? Foi isso o que aconteceu com uma família em Montes Claros, no Norte de Minas, na tarde de segunda-feira (28/3).
Conforme informado pelo Corpo de Bombeiros nesta terça-feira (29/3), o animal estava enrolado no galho de uma árvore – que precisou ser cortado para descer a cobra e, consequentemente, capturá-la em segurança.
 
“Como o animal não apresentava nenhum ferimento aparente, ele foi solto em área de mata, longe do perímetro urbano”, detalhou a corporação.
 
Vale dizer que a jiboia – apesar de assustar por suas dimensões – não é venenosa. Para se alimentar, ela mata a presa por meio da constrição, interrompendo o fluxo sanguíneo.


 

Cobra-cipó é encontrada em motor de carro

Outra captura inusitada aconteceu em Araguari, no Triângulo Mineiro, também na tarde de segunda-feira, em uma locadora de automóveis. O Corpo de Bombeiros foi acionado após uma cobra-cipó ser encontrada no motor de um dos veículos do estabelecimento localizado na Avenida Minas Gerais, no Centro.
 
Quando os militares chegaram ao local, o animal, que já tinha saído do automóvel e estava no chão, foi recolhido e, posteriormente, solto em uma área de reserva, pois não apresentava nenhum ferimento.
 
cobra-cipó na mão de um bombeiro
Embora não seja peçonhenta, a cobra-cipó é muito arisca e pode atacar os seres humanos (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
 
Embora não seja peçonhenta, a cobra-cipó é muito arisca e pode atacar os seres humanos. “Essa serpente não tem veneno, mas pode morder e causar algumas reações, como dor, queimação e coceira. Isso acontece devido à produção de uma secreção que ela utiliza para imobilizar as presas”, explica a corporação à reportagem.
 

Essa, sim, é venenosa!

Conforme mostrou o Estado de Minas no último domingo (27/3), uma cascavel de 1,5m foi apreendida em uma área residencial, também na cidade de Araguari. Sem tratamento, o risco de morrer após a picada chega a 70%.
 
Um homem que mora na Rua das Canjeranas acionou o Corpo de Bombeiros, informando que a cobra saiu do meio do mato, em frente sua residência, atravessou a via e se escondeu em um amontoado de lenhas. Ela foi capturada em segurança e ninguém se feriu.
 
Conforme o Instituto Butantan, o veneno da cascavel possui ação neurotóxica – ou seja, substâncias químicas altamente nocivas que envenenam o Sistema Nervoso Central (SNC).

Também podem ocorrer lesões e rupturas das fibras musculares, causando dores generalizadas, paralisia dos músculos da face e falência renal.
 

Como identificar uma cobra venenosa?

Conforme o Corpo de Bombeiros, as cobras venenosas possuem algumas características físicas. São elas: cabeça triangular e achatada; dentes longos na parte da frente; olhos com fenda semelhante ao olho de um gato fechado; e cauda que afina rapidamente.

Em relação ao comportamento, ela tenta atacar quando alguém chega perto – ao contrário das serpentes sem veneno, que geralmente fogem quando perseguidas.
 
As cascavéis, em particular, vivem, via de regra, em regiões secas, campos e no bioma brasileiro do Cerrado. Ao movimentar o guizo presente no fim da cauda, elas produzem um som, semelhante ao de um chocalho, quando se sentem ameaçadas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade