UAI
Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Minas é o 4° estado com mais mortes de crianças de 5 a 11 anos por COVID-19

Levantamento é do Sindicato dos Oficiais de Registro Civil; Doses da Pfizer para iniciar vacinação do público infantil chegaram ao estado na manhã desta sexta


14/01/2022 09:51 - atualizado 14/01/2022 12:04

Criança com máscara no colo de um adulto
Minas é o quarto estado no ranking nacional de mortes pela COVID-19 na faixa dos 5 aos 11 anos (foto: Xavier Donat/Creative Commons)
Desde o início da pandemia, 21 crianças entre 5 e 11 anos - público com vacinação recentemente aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) - morreram em decorrência da COVID-19 em Minas Gerais. 

O número consta em um levantamento do Sindicato dos Oficiais de Registro Civil das Pessoas Naturais do Estado de Minas Gerais (Recivil), com base em dados do Portal da Transparência do Registro Civil. 

No balanço, Minas aparece como o quarto estado no ranking nacional de índice de óbitos para a faixa etária, atrás de São Paulo (74), Bahia (30) e Ceará (22) (Veja a lista logo abaixo). Em todo o Brasil, foram 324 perdas.

Entre as crianças mineiras, o maior número de mortes está concentrado na faixa de 6 a 11 anos - quatro, no total. Na faixa dos 7 aos 10 anos, foram três registros. Entre as crianças de 5 anos, o relatório aponta duas mortes. Já entre os pequenos de nove anos, houve duas baixas. 

Todas as mortes ocorreram em 2021. O Recivil, contudo, observa que os cartórios têm até dez dias úteis para enviar os dados ao Portal da Transparência do Registro Civil. Eventuais perdas ocorridas na primeira semana de 2022, portanto, ainda podem aparecer nas próximas semanas.

Ranking nacional 

Veja os óbitos de crianças de 5 a 11 anos por COVID-19 em 7 estados brasileiros
  • São Paulo - 74
  • Bahia - 30
  • Ceará - 22
  • Minas Gerais - 21
  • Paraná - 20
  • Rio de Janeiro - 19
  • Rio Grande do Sul - 13

Vacina a caminho

primeiro lote de vacinas pediátricas da Pfizer chegou às 9h44 desta sexta-feira (14/1) ao Aeroporto de Confins. Houve atraso na entrega das 110 mil doses, inicialmente previstas para desembarcar no estado às 8h15. 

A Latam, companhia aérea encarregada do transporte, e a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) explicaram que receberam a remessa somente esta manhã, o que impediu o cumprimento do cronograma orignal. 

Questionado, o Ministério da Saúde, que distribui as vacinas aos estados, não explicou por que encaminhou as doses com atraso à Latam. Por meio de nota, a pasta se limitou a dizer que "não foi informada do motivo do cancelamento do voo". 

A SES-MG espera entregar o lote recebido em até 24 horas. Nesta quinta-feira (13/1), o secretário Fábio Baccheretti  afirmou que a primeira criança mineira pode ser vacinada ainda neste sábado (15/1).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade