UAI
Publicidade

Estado de Minas TENSÃO A CADA CHUVA

Ouro Preto tem 9 famílias desabrigadas e mais de 6.500 pessoas em risco

Além das famílias que tiveram de abandonar as casas por causa das chuvas, milhares vivem sob perigo: 'aprendam a conviver com o risco', diz gestão municipal


04/01/2022 21:51 - atualizado 04/01/2022 22:37

Faixa de terra se desloca após chuvas no Bairro Padre Faria, em Ouro Preto
A faixa de terra se deslocou nesta terça-feira (4/1) e não chegou a atingir as moradias do entorno e também não fez vítimas (foto: Wandrey Cristiano/Divulgação)
Nove famílias foram obrigadas a sair das respectivas casas em Ouro Preto, na Região Central de Minas Gerais, após as fortes chuvas desta semana. Elas ficaram desabrigadas após um deslizamento de terra hoje (4/1) no Bairro Padre Faria, localizado na Serra de Ouro Preto. Além disso, 6.500 pessoas estão em risco - e a gestão municipal orienta que aprendam a "conviver com o risco".
 
“O que orientamos é que as pessoas aprendam a conviver com o risco, observando a área onde moram, se há alagamento, infiltração e trincas. É impossível falar em remover cerca de 7 mil pessoas de uma área, que vai desde o bairro Veloso até o Taquaral”, afirma o secretário de Defesa Social de Ouro Preto, Juscelino Gonçalves.
 
 
A faixa de terra se deslocou nesta terça-feira (4/1) e não chegou a atingir as moradias do entorno, assim como não fez vítimas. Mas a grande mancha de terra, que pode ser vista de longe, deixa um alerta sobre os riscos que correm as mais de 6.500 pessoas que ocupam áreas de risco alto ou muito alto na cidade.
 
O secretário afirma ainda que a formação geológica da área contribui para deslizamentos de terras e que as chuvas servem como gatilhos. O Plano de Contingenciamento, Plancon, criado em setembro, já identificou a área do Padre Faria como parte das 313 áreas de risco de desabamentos.
 
Segundo o secretário, assim que a terra começou a deslizar, as equipes de assistência social, secretaria de Obras, Corpo de Bombeiros e secretaria de Defesa Civil tomaram as providências na retirada das famílias e fizeram o isolamento da área. Do total, duas famílias foram encaminhadas para um abrigo da cidade e as outras sete estão em casas de parentes.
 

Perigo à vista 

 
O secretário alerta que a previsão do tempo é que até sábado: até lá, a previsão é de que a região Central de Minas Gerais receba 240 milímetros cúbico de água e outros acidentes podem ocorrer.
 
“Para qualquer emergência, liguem para o Copo de Bombeiros, no 193; Polícia Militar, no 190; Defesa Civil, 199 e Guarda Municipal, no 153. Qualquer porta de entrada da informação será acionado o Plancon para que sejam dadas as respostas”.
 
Juscelino Gonçalves também afirma que o Plano Municipal de Redução de Riscos é o que tem de mais avançado na prevenção de acidentes na cidade histórica. O guia tem apoio da escola de Geologia da Universidade Federal de Ouro Preto, que vai trabalhar nas áreas onde o poder público necessita fazer as intervenções.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade