UAI
Publicidade

Estado de Minas VOLTA ÀS AULAS

Volta à sala de aula não é obrigatória em várias cidades de Minas; confira

Grande parte dos municípios retomou, nesta quarta-feira (3), as atividades presenciais com 100% da ocupação. Porém, alguns decidiram mudar as regras


03/11/2021 17:41 - atualizado 04/11/2021 08:15

Sala de aula vazia
Municípios têm autonomia para decidir sobre o retorno dos alunos às escolas (foto: Pixabay)
volta às aulas presenciais  ainda é polêmica em Minas Gerais. Duas semanas após a determinação de que as escolas estaduais retomassem as atividades com todos os alunos em sala de aula e a notícia de que os municípios podem decidir o que fazer confundiram e irritaram muitos pais.
A rede estadual voltou com 100% de obrigatoriedade, exceto para alunos que têm alguma doença crônica. Algumas cidades, como Patos de Minas , no Alto Paranaíba, Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), e Pedrinópolis, no Triângulo, também obrigaram, nesta quarta-feira (3/11), que todos os alunos voltem às salas de aula.

LEIA TAMBÉM:  Satisfação e cautela marcam retorno às aulas presenciais nas escolas em MG
 
Em Ribeirão das Neves, na RMBH, a volta é obrigatória, porém em duas unidades isso não será possível. As escolas Luiza Augusta Guimarães, no Neviana, e Professora Ieda Maria de Melo, no Florença, foram danificadas por causa das tempestades da última semana e estão em reforma.
 
Águas Formosas (Vale do Jequitinhonha) e Guarda-Mor (Noroeste) permitem a volta total dos estudantes, mas os pais ainda podem escolher se querem ou não levar os filhos. Uberaba afirmou que o ensino híbrido (on-line e presencial) vai continuar até o fim do ano letivo de 2021.
 
O Estado de Minas pesquisou sobre a situação em outras cidades de Minas e aponta em quais delas o retorno não é obrigatório. Confira:
 

Vale do Jequitinhonha e Mucuri

Em Joaíma ainda não há obrigatoriedade da presença de 100% dos alunos da rede municipal. A prefeitura ainda avalia a decisão estadual para decidir se volta ainda este ano ou não. "O transporte escolar segue em todas as rotas, como era antes, com as seguranças sanitárias", afirma a secretária de Educação, Luciana Murta.
 
Já a prefeitura de Capelinha decidiu escalonar a volta às aulas presenciais. A partir do dia 8 de novembro (próxima segunda-feira), os alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental vão voltar às classes. Os demais seguirão um cronograma que ainda será divulgado.
 
Turmalina publicou um decreto em que determina que as aulas nas redes municipal e estadual possam acontecer, mas com a decisão sendo opcional para os pais, sem penalizações. Advogados explicaram à reportagem que a decisão estadual pode ser "passada por cima" se um município publicar um decreto ou uma lei sobre o tema.
 
Araçuaí decidiu que as aulas, em toda a rede de ensino, seguirão o esquema híbrido. Nem mesmo as escolas estaduais podem receber alunos por tempo indeterminado. O argumento, segundo a prefeitura, é que um surto registrado no Hospital São Vicente de Paulo ainda precisa de atenção, e não é possível medir as consequências de como isso afetou a população da cidade. O município não divulgou quantos pacientes foram infectados nem onde começou o surto.
 

Contagem

O retorno presencial segue sendo facultativo às famílias, porém, quem optar pelo ensino híbrido deve comparecer na escola de segunda à quinta-feira, por pelo menos três horas. Às sextas-feira, serão quatro horas de atividades gravadas.
 
O distanciamento entre os alunos segue de 90 centímetros, apesar de o governo estadual ter zerado a medida
 
Já os estudantes que permanecerem no ensino remoto também terão 20 horas de atividades ao longo da semana, sendo 4 horas diárias de atividades ao vivo com outros alunos ou gravadas. 
 
As sextas-feiras também seguem reservadas para o tempo pedagógico dos professores. Outra novidade na organização das escolas é que as turmas serão divididas em “bolhas”, com atendimento de até dois professores para cada uma.

Cada professor também pode atender até duas bolhas em cada escola.
 

São Gotardo

A prefeitura da cidade do Triângulo Mineiro determinou a volta de 100% das escolas municipais, porém deixou que as unidades particulares escolham qual 'o melhor método', se presencial ou híbrido.
 

Sul de Minas

Em Carmo de Minas, o retorno às aulas é facultativo. Na próxima segunda-feira (8/11), alunos do 3º e 4º anos do ensino fundamental podem voltar às salas. 
 
A prefeitura de Carmo do Rio Claro fará um mutirão para testar todos os adolescentes maiores de 12 anos antes da retomada das aulas. O 'plantão' de testagem vai acontecer nesta sexta-feira (5/11), na Praça Dona Maria Goulart, 37, na garagem do prédio da Secretaria de Educação.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade