UAI
Publicidade

Estado de Minas AMEAÇADOS DE EXTINÇÃO

Filhotes de lobo-guará esbanjam alegria após criação por meio artificial

Os filhotes nasceram em junho, mas o nascimento bem-sucedido, por meio da criação artificial, foi divulgado somente na segunda-feira (11/10), pela Usipa


12/10/2021 13:51 - atualizado 12/10/2021 14:00

Filhotes de lobo-guará brincam no zoológico da Usipa, em Ipatinga
Os lobinhos estão no zoológico da Usipa, em Ipatinga, fazendo mil e uma brincadeiras (foto: Usipa/Divulgação)
O Centro de Biodiversidade da Usipa (Cebus), de Ipatinga, comemora o nascimento de três filhotes  de lobo-guará  por meio de criação artificial. Os filhotes nasceram em cativeiro, dentro zoológico. Os pequenos animais ainda não receberam nomes e são chamados de “lobinhos”. Embora o comunicado do nascimento tenha sido feito na segunda-feira (11/10), os lobinhos nasceram no dia 11 de junho.
 
Os “lobinhos” são duas fêmeas e um macho, filhos do casal de lobos-guará Cauê e Tíbia, que tentaram se reproduzir durante três anos, mas não conseguiam manter os filhotes.
 
Cláudia Diniz, bióloga do Cebus, explica que as perdas de filhotes nos anos em que houve as tentativas motivaram uma atitude pouco incomum por parte dos biólogos. Eles optaram por retirar os lobinhos antes de um mês de vida.
 
No procedimento, realizado em junho, os lobinhos foram retirados dos cuidados maternos e começaram a ser criados de forma artificial. Cláudia Diniz afirma que os filhotes estão com as vacinas em dia e têm se alimentado de carne, frutas e ração.
 
“Geralmente, o lobo-guará consome a fruta inteira e por esse motivo ele é um ótimo dispersor de sementes, participando assim da recomposição de áreas degradadas. Isso confere ao lobo o papel de agricultor do cerrado”, explica Cláudia.
 
O Cebus faz parte do grupo coordenado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), de instituições nacionais e internacionais que se esforçam para preservar a espécie.
 
“O lobo-guará é um mamífero ameaçado de extinção, e que faz parte de planos de manejo. Por isso é comum a reprodução em cativeiro”, afirma o médico veterinário responsável técnico pelo Cebus, Lélio Costa e Silva.
 
Os “lobinhos” passam bem e são brincalhões. O dia inteiro eles ficam fazendo mil e uma brincadeiras na área do zoológico. Em breve estarão fazendo a alegria dos visitantes do Cebus.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade