UAI
Publicidade

Estado de Minas LEVANTAMENTO

COVID: Ribeirão das Neves e mais 5 cidades não aplicaram nem 60% da 1ª dose

Mesmo 9 meses após início da campanha de vacinação, Urucuia não imunizou metade da população maior de 18 anos com a vacina. Situação preocupa especialistas


23/09/2021 14:35 - atualizado 23/09/2021 14:55

Ribeirão das Neves é a maior cidade na lista dos municípios que menos vacinaram
Ribeirão das Neves é a maior cidade na lista dos municípios que menos vacinaram (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press.)
Seis cidades de Minas Gerais não conseguiram vacinar nem 60% da população com mais de 18 anos com a primeira dose da vacina contra COVID-19. É o que revela um levantamento feito pelo Estado de Minas , com base nos dados disponibilizados pelo Vacinômetro, do governo estadual. A consulta foi feita na segunda-feira (20/9) em todos os municípios mineiros.
 
Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, chamou a atenção. Mesmo próxima à capital, e com mais de 300 mil habitantes, tem 56,65% da população que pode ser considerada imunizada com a primeira dose.
 
 
No Vale do Jequitinhonha estão dois municípios entre os mais baixos: Chapada do Norte (com 56,28% da população com 1ª dose) e Setubinha (59,16%).
 
Mas é o Norte de Minas que lidera o ranking negativo. São três cidades com índices abaixo de 60%. Josenópolis (5 mil habitantes) está próximo disso, com 58%. Já São Romão (12 mil habitantes) tem 53,41% dos imunizados.
 
Enquanto isso, Urucuia (16 mil habitantes) surpreende pelo lado negativo. A cidade não chegou a vacinar com a primeira dose nem 50% da população, segundo o Vacinômetro. Apenas 48,76% dos moradores tomaram a vacina.

"Dados preocupantes", diz infectologista

A ideia da imunização é com que, junto com as pessoas que adoeceram e se recuperaram, a população crie defesas no corpo suficientes para evitar novas contaminações. E, com números baixos, esse objetivo não é alcançado. É o que explica o infectologista e presidente da Sociedade Mineira de Infectologia, Estevão Urbano.
 
"São números preocupantes do ponto de vista epidemiológico. As vacinas conseguem reduzir o contágio. Quem é vacinado não adoece, ou transmite em menor quantidade, e o vírus vai reduzindo até a pandemia acabar. Com menos pessoas imunizadas, o efeito é absolutamente inverso", detalha.
 
Apesar de não opinar diretamente sobre os motivos de Ribeirão das Neves constar na lista das que menos vacinaram, o infectologista se mostrou surpreso quando a reportagem apresentou os números. "Destoa um pouco da curva, se a gente analisar as demais cidades, mesmo as vizinhas da RMBH", comenta.
 
Urbano sugere algumas hipóteses: o próprio desinteresse da população em se vacinar, e uma distribuição que poderia ser mais adequada à necessidade de quem trabalha fora, por exemplo.

Prefeituras apontam "erros" nos dados

Em nota encaminhada ao Estado de Minas , a prefeitura de Ribeirão das Neves nega ter apenas 56% da população vacinada, e aponta que o número, apesar de constar oficialmente no sistema estadual, está desatualizado, pois os dados precisam ser "inseridos manualmente", segundo a secretaria de Saúde.
 
"Consta, no registro do Programa Nacional de Imunização, que 63% dos munícipes já tomaram a primeira dose da vacina, sem considerar as pessoas que tomaram a dose única", argumenta.
 
Na avaliação dos gestores da cidade, existe um segundo motivo que pode explicar o baixo número de imunizados: a divisa com cinco municípios, o que pode ter feito com que pessoas tenham se imunizado em outra cidade – apesar de, na campanha, ser obrigatório levar um comprovante de endereço.
 
Para tentar aumentar esse número, a cidade vai realizar, na próxima terça-feira (28/9) um Corujão de Vacina, das 18h às 21h, para aqueles que trabalham fora. A vacinação vai ocorrer no Ginásio Henfil (Rua Artur José Alves, 100 - Savassi), na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Rua Alice Maria, 19 - Veneza), no estacionamento do hipermercado Economart (Av. Denise Cristina, 2.900 - Justinópolis) e na Estação do Move (Av. JK, 594 - Cerejeiras).
 
"O município não registra altos índices de contágio, vem apresentando uma tendência de estabilidade, com consequente redução nas internações hospitalares e óbitos", finaliza a administração.
 
Já a prefeitura de São Romão, no Norte de Minas, informou que o número de habitantes atribuido ao município para receber a vacina é maior do que o realmente registrado na cidade. A secretaria de saúde está avaliando com a Gerência Regional de Saúde (GRS) onde houve a falha de informação e a correção dos números.
 
Urucuia, Josenópolis, Setubinha e Chapada do Norte não responderam ainda aos questionamentos feitos pela reportagem. O texto será atualizado assim que as posições forem enviadas.

Veja lista das cidades com menor vacinação de 1ª dose em MG

  • Urucuia - 48,76%
  • São Romão - 53,41%
  • Chapada do Norte - 56,28%
  • Ribeirão das Neves - 56,65%
  • Josenópolis - 58%
  • Setubinha - 59,16%


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade