UAI
Publicidade

Estado de Minas NO SUL DE MINAS

Homem é condenado a 34 anos de prisão por matar e estuprar jovem de 18 anos

Ele confessou os crimes: estupro e assassinato ocorreram em abril de 2020, quando o condenado estava em prisão domiciliar por causa da pandemia


16/09/2021 19:36 - atualizado 16/09/2021 20:05


Jenifer Hugo, de 18 anos, foi assassinada por um presidiário que estava solto por causa da pandemia
Jenifer Hugo, de 18 anos, foi assassinada por um presidiário que estava solto por causa da pandemia (foto: Reprodução)
 
O homem  acusado de estuprar e matar  uma jovem de 18 anos em Poços de Caldas, no Sul de Minas, foi condenado a quase 35 anos de prisão, em júri popular realizado na quarta-feira (15/9) no Fórum da cidade. O crime aconteceu no ano passado.

O corpo de Jenifer Hugo foi encontrado no dia 23 de abril. De acordo com a polícia, um presidiário de 35 anos, que recebeu o benefício de prisão domiciliar em razão da pandemia da COVID-19, confessou ter matado e estuprado a jovem.

Durante o interrogatório, o acusado, que era assistido pela Defensoria Pública, confessou o crime e deu detalhes de como foi a morte de Jenifer Hugo. Com isso, durante o julgamento, as testemunhas de acusação e defesa foram dispensadas. O júri, composto por quatro homens e três mulheres, terminou na tarde de ontem.

Éder Abraão Filadélfia foi condenado por homicídio qualificado, estupro, furto e ocultação de cadáver. O juiz José Eduardo Junqueira Gonçalves fixou a pena em 34 anos e 11 meses. Porém, a decisão cabe recurso.

“Até o momento, ele tem quatro condenações definitivas por estupro. Em alguns casos, ele também cometeu furtos ou roubos de itens das vítimas. A pena por esses crimes totalizava 53 anos, 8 meses e 2 dias. Há outros casos em andamento”, informou a assessoria do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Relembre o caso

Jenifer Hugo, de 18 anos, desapareceu no início de abril do ano passado. O corpo da jovem foi encontrado no dia 23 do mesmo mês, em Poços de Caldas. De acordo com a polícia, um presidiário de 35 anos confessou ter matado e estuprado a vítima. Ele estava em prisão domiciliar durante a pandemia, por ser do grupo de risco.

A Polícia Civil informou que chegou ao suspeito após ele ter sido preso, no dia 16 de abril, por uma tentativa de estupro que aconteceu próximo ao local do desaparecimento da jovem. Segundo o delegado Cleyson Rodrigo Brene, o homem disse que utilizou o cabo de celular da própria vítima para estrangulá-la.
 
(Gabriella Starneck / Especial para o EM)


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade