Publicidade

Estado de Minas CONDENADO

Morador de rua que matou homem em fila de albergue pega 8 anos de prisão

O crime ocorreu em 2018 no Bairro Floresta, Região Leste de Belo Horizonte


14/09/2021 15:26 - atualizado 14/09/2021 16:40

Julgamento de Marcílio Soares dos Santos, acusado de matar Tiarley Rodrigues, no Tribunal do Júri(foto: Marcelo Almeida/TJMG)
Julgamento de Marcílio Soares dos Santos, acusado de matar Tiarley Rodrigues, no Tribunal do Júri (foto: Marcelo Almeida/TJMG)

 

Um homem acusado de matar outro em uma fila para vagas em um albergue foi condenado hoje (14), a 8 anos de prisão. O crime ocorreu em 2018 no Bairro Floresta, Região Leste de Belo Horizonte. Ambos eram moradores de rua.

 

A decisão foi tomada nesta terça-feira (14) no III Tribunal do Júri no Fórum Lafayette, Lafayette, na Região Centro-Sul da capital. De acordo com o Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), nesta manhã o réu admitiu a facada, o desentendimento, e disse ter golpeado a vítima após o tapa no rosto. 

 

 

 

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) acusou Marcílio Soares dos Santos de matar Tiarley Rodrigues de Jesus em 18 de julho de 2018. Por volta das 17h15, eles tiveram uma discussão por causa de uma vaga na fila de um albergue público para passar a noite. 

 

Tiarley foi morto com uma facada no peito. Na sentença de pronúncia, constava que Marcílio permaneceu em silêncio no interrogatório judicial, mas que, quando foi ouvido na delegacia, contou que esbarrou na bolsa de Tiarley na fila do albergue e voltou para se desculpar, mas foi hostilizado. Na versão do acusado, o homem deu um tapa no rosto dele e xingou seus pais. 

 

Conforme o texto, Marcílio disse que foi tomar banho e, quando voltou, pegou uma faca na barraca dele e voltou para a fila, onde matou o outro morador de rua com um golpe certeiro. O homem disse ser usuário de drogas.  

 

A sentença seria inicialmente de 12 anos, mas devido a um laudo de sanidade mental anexado ao processo, foi comprovado que o réu tem a capacidade de compreensão reduzida, e por isso foi condenado a 8 anos. O homem está preso desde outubro de 2019, e vai cumprir o restante da pena em regime semiaberto.

 

* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 


 

 

 

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade