Publicidade

Estado de Minas MEIO AMBIENTE

Manifestantes fazem protesto contra mineração na Serra da Moeda

Ambientalistas e moradores da região se uniram para pedir interdição de atividades de mineradora


31/07/2021 13:58 - atualizado 31/07/2021 20:11

Os manifestantes pedem a interdição da mina Várzea do Lopes(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
Os manifestantes pedem a interdição da mina Várzea do Lopes (foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
Ambientalistas, moradores de MoedaItabiritoBrumadinho e proximidades realizaram neste sábado (31/07) uma manifestação no Mirante de Moeda, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O objetivo foi denunciar avanços de mineradora sobre áreas protegidas.


O protesto começou às 10h no mirante que fica Km 1 da rodovia LMG-825, que liga o município de Moeda à BR-040. Manifestantes seguraram cartazes como "Especulação imobiliária inimiga do meio ambiente" e "a população não quer mineração''. Além disso, entregaram mudas de árvores.

Moradores da região denunciam que as atividades na mina Várzea do Lopes da Gerdau tem avançado ilegalmente sobre a área do Monumento Natural Estadual (Mona) da Serra da Moeda, unidade de conservação (UC) criada em 2010.

O Mona da Serra da Moeda é administrado pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF).

 

Pedido de interdição 


A empresa que atua na Mina Várzea do Lopes tenta ampliação em Unidade de Conservação(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
A empresa que atua na Mina Várzea do Lopes tenta ampliação em Unidade de Conservação (foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
Hoje, os manifestantes pedem a interdição da mina Várzea do Lopes. Além disso, cobram do Ministério Publico de Minas Gerais (MPMG) e da Gerdau o cumprimento integral dos termos de compromisso assinados pela empresa em 2009 e 2013 que, entre outras medidas, previam que a siderúrgica não solicitasse novas licenças para atividades na Serra da Moeda.

Eles também pedem que o presidente do IEF e o gestor do Mona Serra da Moeda, Henri Collet, convoquem nova eleição do conselho consultivo.

O outro lado

 


Segundo o diretor executivo da Gerdau, Wendel Gomes, a empresa respeita a manifestação, mas pontua que as alegações ''não procedem''. "A Gerdau opera a mina Várzea do Lopes desde 2007. Todo o tempo dentro da legalidade. Dizer que operamos sem licença não tem fundamento'', afirma. 

Ele ainda sustenta que a empresa opera em Itabirito e não em Moeda. 

O diretor afirma também que não há previsão de impedimento de novos licenciamento. "Não há revisão para licenciamento e, sim, para a operação simultânea", diz sobre os termos de compromisso assinado com o MPMG. 

''A operação é 100% legal e licenciada. Não há impactos nas nascentes de Moeda. Somos proprietários de 54% do monumento Serra da Moeda. A gente não degrada, a gente preserva'', finaliza.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade