Publicidade

Estado de Minas VIOLÊNCIA

Polícia encontra corpos de quatro pessoas desaparecidas desde o ano passado

Crimes aconteceram após desaparecimento de uma mulher, em Uberlândia. Oito pessoas foram presas em uma operação da Polícia Civil


02/06/2021 16:08 - atualizado 02/06/2021 17:32

Corpos foram encontrados na zona rural de Uberlândia. Vítimas estavam desaparecidas(foto: Polícia Civil de MG/Divulgação)
Corpos foram encontrados na zona rural de Uberlândia. Vítimas estavam desaparecidas (foto: Polícia Civil de MG/Divulgação)
A Polícia Civil de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, encontrou os corpos de quatro pessoas que estavam desaparecidas desde o final do ano passado e desvendou uma série de homicídios que aconteceram após a morte de uma mulher, em 14 de novembro de 2020. Uma operação prendeu oito pessoas que tem ligação com os assassinatos.
 
No caso que marcou o início da onda de crimes, o corpo de Maria Tereza Cunha Rocha, de 43 anos, foi localizado em 24 de novembro, na Rodovia Neuza Rezende, próximo ao local onde o carro dela foi encontrado queimado, no bairro Industrial.
 
A polícia apurou que a mulher, que desapareceu no dia 13 de novembro no bairro Taiaman, onde iria buscar o filho na casa do ex-marido, foi morta a mando do ex-companheiro e por Anderson Vinícius de Souza Silva, 34, integrante de uma organização criminosa.
 
Na época, a mulher ainda teve o corpo ocultado, com o auxílio do cunhado do suspeito, em uma fazenda.

Sequência de crimes

A Polícia Civil descobriu que, após a morte de Maria Tereza, os filhos dela se uniram ao dono de um bar no bairro Élisson Prieto. Wesley Cardoso Gomes da Silva, 32, tinha uma desavença com o integrante da facção. O objetivo do trio era matar Anderson.
 
Em 19 de novembro, o homem chegou ao bar com a namorada, Cristiane Gomes Ribeiro, 36, quando foi morto a tiros.
 
Cristiane também foi assassinada a facadas dentro do banheiro do bar, pelo fato de estar no local e testemunhar o homicídio contra o namorado.
 
Após o crime no bar, os irmãos de Maria Tereza abandonaram os corpos em uma estrada vicinal, às margens da BR-365, e limparam o sangue no veículo que utilizaram para o transporte.
 
O dono do bar e funcionários também lavaram o sangue no estabelecimento onde ocorreram os crimes.
 
Durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão no bar nesta semana, a perícia identificou o duplo homicídio.
 
Como Anderson era membro de uma organização criminosa, o grupo se vingou da morte dele assassinando Wesley. O corpo dele foi localizado em 14 de janeiro deste ano. O inquérito que investiga este caso segue em andamento.
 
Os nomes dos presos não foram informados.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade