Publicidade

Estado de Minas POLÍCIA CIVIL

Polícia desvenda morte de vaqueiro, que teria sido morto por um boi

Isac foi encontrado morto no Córrego Brejaúba, em Ubaporanga, e sua morte foi atribuída a um boi. Mas a operação 'Dando nome aos bois' desvendou o mistério


29/04/2021 15:07 - atualizado 29/04/2021 17:38

O vaqueiro Isac, que teria sido morto por um boi, foi assassinado por vingança em Ubaporanga(foto: Reprodução/redes sociais)
O vaqueiro Isac, que teria sido morto por um boi, foi assassinado por vingança em Ubaporanga (foto: Reprodução/redes sociais)
 
O vaqueiro Isac Moreira da Rocha, 38 anos, encontrado morto em 23 de fevereiro de 2021, no Córrego Brejaúba, zona rural de Ubaporanga, cidade próxima à Caratinga, teve sua morte desvendada pela Polícia Civil depois de um longo período de investigações. À época, acreditava-se que o vaqueiro teria sido morto por um boi, depois de ser chifrado e pisoteado por esse animal.
Nesta quinta-feira (29/4), policiais da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa da Polícia Civil desencadearam a operação "Dando nome aos bois” e desvendaram a morte misteriosa do vaqueiro. Com um mandado de prisão temporária, os policiais prenderam um homem de 40 anos de idade, que, de acordo com as investigações, é o autor da morte de Isaac. 
 
Esse homem foi preso dentro de um ônibus urbano, na Rua Capitão Paiva, em Caratinga, portando um revólver calibre 38 e cinco munições. Em seguida, os policiais foram até a residência desse homem e, com o mandado de busca e apreensão, apreenderam um capacete, uma jaqueta e uma camisa que ele teria usado no dia do crime.
 

O fim do mistério

Quando o corpo do vaqueiro foi encontrado, as pessoas que o encontraram caído perto de um cocho atribuíram os ferimentos que ele tinha no corpo às chifradas de um boi. Porém, quando o corpo chegou ao Instituto Médico Legal (IML), o médico legista constatou que o corpo do vaqueiro apresentava múltiplas feridas perfurocortantes nas regiões da cabeça, tórax anterior e abdômen, provocadas por um instrumento perfuro cortante, como uma faca, por exemplo.
 
Na investigação do crime, os policiais apuraram que o homem preso na manhã desta quinta-feira havia acessado o aparelho celular de sua espoa, no dia 16 de fevereiro, e viu que ela era amante do vaqueiro.
 
Para cometer o crime, o homem, de acordo com a investigação policial, contou com a ajuda de um amigo, conhecido como Thierry. Os dois se deslocaram em uma motocicleta até a propriedade onde o vaqueiro trabalhava. Os dois renderam o vaqueiro e o assassinaram com golpes de faca. Thierry ainda não foi localizado pela polícia e foi declarado foragido da Justiça.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade