Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Kalil e prefeito de Araraquara discutem medidas de restrições à circulação

Os dois prefeitos ficaram conhecidos nacionalmente durante a pandemia de COVID-19 por manterem medidas restritivas para conter o avanço do novo coronavírus


20/04/2021 15:29 - atualizado 20/04/2021 17:01

O bate-papo começa às 16h através da plataforma Zoom. Para poder participar, basta fazer inscrição no site da Impulso(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press. Agência Brasil/Reprodução)
O bate-papo começa às 16h através da plataforma Zoom. Para poder participar, basta fazer inscrição no site da Impulso (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press. Agência Brasil/Reprodução)
O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), e o prefeito de Araraquara, Edinho Silva (PT), participam, nesta terça-feira (20/4), de uma palestra organizada pela Impulso, para falar sobre os desafios e aprendizados do lockdown no Brasil.

Os dois prefeitos ficaram conhecidos nacionalmente durante a pandemia de COVID-19 por manterem medidas restritivas para conter as infecções do novo coronavírus.

Leia: Linha do tempo: confira quantas vezes Kalil fechou BH durante a pandemia

O bate-papo começa às 16h através da plataforma Zoom. Para poder participar, basta fazer inscrição no site da Impulso.



Kalil vem chamando atenção dos brasileiros por suas decisões durante a pandemia. O nome do prefeito da capital mineira chegou até mesmo a ser cotado para vice na chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições presidenciais de 2022. 

Quem não gostou muito foi o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que já citou o nome de Kalil muitas vezes. O presidente é contra as medidas de restrição. 

Na tarde de ontem, Bolsonaro voltou a falar de Kalil. Em declaração na portaria do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República, Bolsonaro afirmou: “Dizem que não estou preocupado com a vida, que sou genocida. Prefeituras deitaram e rolaram no ano passado com o lockdown. E o povo reelegeu esses caras. Olha BH, reelegeram", afirmou.


Durante coletiva para anunciar mais uma retomada, questionado sobre uma conversa direta com o presidente, o prefeito afirmou que “só por sinal de fumaça”. “Eu sou prefeito de Belo Horizonte. Se o governador de São Paulo não consegue, se o governador do Rio de Janeiro não consegue...Bolsonaro não me recebe, só  se for por sinal de fumaça”, disse.

BH teve, desde o início da pandemia, 16 flexibilizações e seis fechamentos. Todas as vezes em que o termômetro do painel da COVID registrou o aumento de infecções e ocupações de leitos, Kalil voltou atrás.

Já Edinho Silva, chamou a atenção após o lockdown de Araraquara confirmar ser positivo para cidade no interior de São Paulo. O confinamento foi de 21 de fevereiro a 2 de março, e houve queda no número de diagnósticos positivos da doença, internações e óbitos.

O número de casos confirmados em 15 dias caiu 66,2%: de 2.361 (de 7 de fevereiro a 21 de fevereiro), para 799 (de 30 de março a 11 de abril. 

Leia: Araraquara: Após um mês de lockdown, casos de COVID-19 caem

No lockdown realizado em Araraquara, estavam autorizadas a funcionar apenas farmácias e unidades de saúde de urgência e emergência. Foi proibida a circulação de veículos e de pessoas na cidade. Era permitido sair de casa apenas para aquisição de medicamentos, obtenção de atendimento ou socorro médico para pessoas ou animais e serviços de urgência ou necessidades inadiáveis.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade