Publicidade

Estado de Minas SEM COMPRAVAÇÃO CIENTÍFICA

´Tratamento precoce': São Lourenço tem 56 mortes e leitos esgotados

No período de um mês, a cidade somou 436 pessoas infectadas pela COVID-19 e mais 8 mortes confirmadas pela doença; caso é investigado pelo Ministério Público


29/03/2021 20:25 - atualizado 29/03/2021 21:51

Casos de COVID-19 em São Lourenço estão em alta(foto: Travel Notes/divulgação)
Casos de COVID-19 em São Lourenço estão em alta (foto: Travel Notes/divulgação)
O número de pessoas infectadas pela COVID-19 vem crescendo em São Lourenço, no Sul de Minas. O prefeito da cidade, Walter José Lessa, adotou o ‘tratamento precoce’ contra o novo coronavírus e apareceu em vídeos afirmando que zerou internações e mortes no município. O caso repercutiu nas redes sociais e é investigado pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG).

 

Dados do último boletim municipal mostram que, no último mês, São Lourenço somou 436 pessoas infectadas pela COVID-19 e mais 8 mortes confirmadas pela doença. A cidade tem 2.795 casos positivos do novo coronavírus e 56 óbitos. Além de 100% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

 

Para conter o avanço da doença, o prefeito da cidade, Walter José Lessa, adotou o ‘tratamento precoce’ contra o novo coronavírus. Ele afirmou que a combinação dos medicamentos: azitromicina, ivermectina, dexatametazona, zinco e vitamina D zerou internações e mortes de moradores do município. Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro comemoraram e apoiaram a ação.

 

“Deixar as pessoas morrerem sem fazer nada ou começar o tratamento tardiamente, então, nós instituímos um protocolo. Eu percebi que esses pacientes estavam evoluindo muito mal até começar o tratamento de fato”, afirmou prefeito.

 

Prefeito aparece junto com vereador do Triângulo Mineiro para falar do 'tratamento precoce'(foto: Reprodução Facebook)
Prefeito aparece junto com vereador do Triângulo Mineiro para falar do 'tratamento precoce' (foto: Reprodução Facebook)
O caso ganhou repercussão depois que o prefeito apareceu em vídeos falando do procedimento. Inclusive, ele gravou um vídeo acompanhado do vereador Cristiano Caporezzo, de Uberlândia, no Triângulo Mineiro.  

 

“O tratamento precoce deve ser instituído para evitar as complicações que levam o paciente à ala da COVID-19, em seguida UTI, com desfecho às vezes fatal", afirmou prefeito em vídeo publicado nas redes sociais.

 

Com UTI lotada, o município aderiu à onda roxa do Programa Minas Consciente. De acordo com a prefeitura, os pacientes não são moradores da cidade e sim da macrorregião. “Esse tratamento é opcional e não é obrigatório. Mas uma série de medidas estão sendo tomadas pelo município para conter o avanço da doença e não só o tratamento precoce”, explica assessoria de imprensa.

 

 

Investigação 

 

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) entrou no caso no dia 19 de março depois que recebeu algumas denuncias sobre o ‘tratamento precoce’. O Estado de Minas entrou em contato com órgão para saber detalhes e o andamento das investigações, mas até o momento, não teve retorno.

 

Ainda segundo a prefeitura, a administração municipal está fazendo a defesa e não tem novidades.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade