Publicidade

Estado de Minas LESTE DE MINAS

COVID-19: mulheres ocupam BR-116 e exigem a abertura do hospital regional

Movimento das mulheres faz parte da 'Jornada de Lutas', e denuncia descaso do governo Bolsonaro com a pandemia do coronavírus


08/03/2021 10:28 - atualizado 08/03/2021 11:40

As mulheres fizeram um protesto pacífico e pedir
As mulheres fizeram um protesto pacífico e pedir "fora, Bolsonaro", responsabilizando o presidente pelas quase 300 mil mortes causadas pela COVID-19 no Brasil (foto: Geanini Hackbardt - Divulgação)
A Jornada de Lutas das Mulheres, evento que começou em Governador Valadares, no leste de Minas, no domingo (07/03) e vai até sábado (14/03), promoveu um ato na BR-116, Rio-Bahia, no trevo conhecido como 'Quilômetro Seis', próximo ao Assentamento do Trabalhadores Rurais Sem-Terra e das obras do Hospital Regional.

As mulheres usaram máscaras faciais feitas com chita (tecido), lenços e roupas pretas. O luto se referia aos quase 300 mil mortos pela COVID-19 no Brasil, e segundo elas, todos os mortos pela doença são 'vítimas do descaso do governo Bolsonaro com a pandemia'.

Além do protesto pelas mortes causadas pela COVID-19, as mulheres exigem também o retorno do auxílio emergencial e querem que a vacina contra a doença seja prioritária para todos e todas.

Edilene Cenourinha, da direção estadual do Setor de Gênero do MST, disse que a COVID-19 não vem sendo tratada de forma responsável pelos gestores dos municípios.

"A pandemia do novo coronavírus expôs ainda mais a situação de descaso que ocorre em nossos municípios. Os leitos em Valadares estão praticamente todos ocupados, nosso povo está morrendo nas mãos desse governo genocida", disse.

O local escolhido para a manifestação do grupo de mulheres, exatamente no Dia Internacional da Mulher, facilitou o deslocamento de todas elas, por ser próximo ao Assentamento Oziel Alves Pereira (MST) e simbólico, por estar pertinho das obras de construção do Hospital Regional de Governador Valadares.

As mulheres exigiram a abertura imediata do hospital e lembraram que o atendimento de pacientes acometidos pela COVID-19 na região é precário, com os hospitais públicos e particulares lotados, enquanto a construção do Hospital Regional está abandonada.

A vereadora de Governador Valadares, Gilsa Santos (PT), que acompanha o dia a dia nos atendimentos aos pacientes da COVID-19, espera ver o Regional funcionando e atendendo as comunidades.

"A obra está 80% concluída. A população poderia contar com, pelo menos, um hospital de campanha para que as famílias não tivessem que sofrer com tamanha precariedade na saúde", disse.

Obras em ritmo lento

As obras de construção do Hospital Regional de Governador Valadares estão paradas desde 2015, e nesse tempo, sempre houve anúncios de retomada das obras. O governador Romeu Zema (Novo), anunciou oficialmente, em 15 de abril de 2020, a continuação das obras, por meio de videoconferência que teve a participação de várias lideranças políticas do leste de Minas Gerais.

À época, o governador informou que a obra seria concluída com recursos no valor de R$ 78 milhões de reais, oriundos da Fundação Renova, e seriam tocadas pelo Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG), como a aquisição dos equipamentos para que o novo hospital estivesse à disposição da população o mais rápido possível.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade