Publicidade

Estado de Minas LOTADO

Araxá chega ao colapso nas UTIs para pacientes de COVID-19 pela segunda vez

Pertencente ao Triângulo Sul, município não foi incluído na onda roxa, a de maior restrição no programa Minas Consciente


03/03/2021 20:33 - atualizado 03/03/2021 22:24

Primeira parte do boletim epidemiológico de Araxá, divulgado no final da tarde desta quarta-feira (3/3)(foto: Prefeitura de Araxá/Divulgação)
Primeira parte do boletim epidemiológico de Araxá, divulgado no final da tarde desta quarta-feira (3/3) (foto: Prefeitura de Araxá/Divulgação)

Após cerca de 15 dias e pela segunda vez, Araxá registra taxa de ocupação de 100% nos leitos de UTI/COVID. Já as enfermarias para pacientes com a doença estão com quase 60% das vagas em uso. Os dados estão no boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde no final da tarde desta quarta-feira (3/3).

Situada na região do Triângulo Sul, a cidade onde o governador de MInas, Romeu Zema, nasceu não foi incluída pelo Estado na onda roxa, a de maior restrição no programa Minas Consciente.

 
A cidade é regida por novo decreto municipal de enfrentamento à doença, publicado no final da tarde dessa terça-feira (2/3), que estendeu para mais sete dias a proibição da venda de bebidas alcoólicas no município.

Com duração inicial de 15 dias, o decreto anterior que determinou a Lei Seca na cidade havia sido publicado em 17 de fevereiro. 
 
Segunda parte do boletim epidemiológico de Araxá, divulgado no final da tarde desta quarta-feira (3/3)(foto: Prefeitura de Araxá/Divulgação)
Segunda parte do boletim epidemiológico de Araxá, divulgado no final da tarde desta quarta-feira (3/3) (foto: Prefeitura de Araxá/Divulgação)
 
Mesmo diante do colapso dos leitos UTI/COVID, segundo informações da assessoria de imprensa da prefeitura, as escolas particulares de Araxá retornarão as atividades na segunda-feira (8/3) no modelo híbrido (remoto e presencial).

As estaduais também voltarão no dia 8, a princípio ainda restritas ao modelo remoto. 

Números da pandemia

 
Desde o início da pandemia, fevereiro foi o pior mês para o município em número de mortes e casos positivos da COVID-19.

Foram registrados no mês passado 1.418 novos casos da doença, 377 casos a mais que janeiro, e 20 óbitos – nove a mais que outubro do ano passado.



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade