Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

COVID-19: BH volta a ter mais de 70% dos leitos de UTI ocupados

Dos 283 leitos exclusivos para pacientes com o novo coronavírus na rede pública, 75,3 % estão ocupados. Já a UTI não-COVID tem 91,9% das 713 vagas preenchidas


26/02/2021 17:21 - atualizado 26/02/2021 18:36

A última vez que BH havia atingido o nível vermelho na taxa de ocupação de UTIs foi em 3 de fevereiro(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
A última vez que BH havia atingido o nível vermelho na taxa de ocupação de UTIs foi em 3 de fevereiro (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
 
Depois de 23 dias, a taxa de ocupação de leitos de UTI em Belo Horizonte voltou ao estágio vermelho, considerado o de maior alerta dentro da classificação do Comitê de Enfrentamento à COVID-19 da capital. Nesta sexta-feira (26/2), o índice atingiu o percentual de 70,1%, quatro décimos a mais do que o registrado na quinta-feira (25/2). A taxa de transmissão do vírus também aumentou.
 
A última vez que a ocupação de leitos de UTI esteve no vermelho foi em 3 de fevereiro, quando o percentual foi igualmente de 70,1%. Na ocasião, Belo Horizonte ainda vivia os efeitos do aumento de casos registrados em janeiro. 

De acordo com o último boletim da Secretaria Municipal de Saúde, dos 283 leitos dedicados exclusivamente à COVID-19 na rede pública, 75,3 % estão ocupados. Em relação à UTI não-COVID, 91,9% das 713 vagas estão preenchidas. 
 
 

A taxa das enfermarias também cresceu, passando de 50,9% para 56,2%. Dos 777 leitos disponíveis para COVID-19, 63,4% estão sendo usados. E 81% dos 3.847 leitos para outras doenças estão ocupados.
 
Na rede suplementar, a ocupação é de 47,1% dos 622 leitos exclusivos para tratamento do novo coronavírus. E de 81,9% referentes aos 2.098 que são determinados para outras doenças. 
 

Transmissão maior

 
Nas últimas 24 horas, Belo Horizonte registrou 10 mortes e 892 casos confirmados de COVID-19. A exemplo das taxas de ocupação de UTI e enfermarias, o índice de transmissão por infectado subiu, passando de 1,01 para 1,06

Isso quer dizer que 100 pessoas são capazes de transmitir o vírus para outras 106.  
 
A capital contabilizou até o momento 110.461 infectados e 2.731 mortes pelo novo coronavírus.

De acordo com o boletim, 102.692 pessoas se recuperaram da doença. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade