Publicidade

Estado de Minas IMUNIZAÇÃO

'Não considero atraso', diz secretário de Saúde sobre vacina de Oxford

Carlos Eduardo Amaral explicou que a pasta precisou de tempo para adequar os parâmetros de vacinação com fabricante diferente da Coronavac


27/01/2021 17:48 - atualizado 27/01/2021 19:37

O anúncio foi feito durante coletiva de imprensa na Cidade Administrativa.(foto: Deborah Lima/EM/DA Press)
O anúncio foi feito durante coletiva de imprensa na Cidade Administrativa. (foto: Deborah Lima/EM/DA Press)
O secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, disse que não considera que houve atraso na distribuição da vacina AstraZenica. A declaração foi feita durante coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (27/01) na Cidade Administrativa.
 
As primeiras doses aplicadas no estado são da CoronaVac, vacina produzida em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo, e a biofarmacêutica chinesa Sinovac. Quando o imunizante chegou a Minas, em 18 de janeiro, houve vacinação no primeiro dia, no Aeroporto de Confins. No dia seguinte, as principais regionais do estado já haviam recebido os lotes e começava a vacinação.
 
Nesta semana, o governo informou que as doses de outro imunizante, Covishield, vacina produzida pela parceria da AstraZeneca com a Universidade de Oxford, serão repassadas aos municípios a partir de amanhã (28). No entanto, as vacinas já estão no estado desde o último domingo.
 
"Não considero que haja atraso. Existe um momento de operação quando os municípios estão vacinando. Uma vez que tem vacina, não há necessidade de chegar com mais vacinas enquanto não consumiram. Além disso, estávamos conferindo junto aos municípios como foi a chegada das vacinas. Com essa revisão agora já feita, haverá distribuição", disse Carlos Amaral.

Outras 87,6 mil doses da CoronaVac também chegaram a Minas na tarde de segunda-feira (25/1), e devem ser distribuídas amanhã, juntamente com as doses da vacina de Oxford.

A subsecretária de Vigilância em Saúde, Janaína Passos, explicou que a secretaria precisava de um tempo para se reorganizar e alinhar a mudança com as regionais.
 
"É um outro fabricante, então, precisávamos de organização. Houve toda reorganização do processo a fim de que o quantitativo distribuído esteja condizente para cada município. E também preparasse mais municípios para receber as vacinas de dois fabricantes diferentes", justificou.

O que muda entre as duas vacinas, segundo Janaína, é a forma de armazenamento das doses. No caso da Coronavac, cada dose é manipulada em um frasco. Já a Covishield contém 10 doses em uma ampola.

Como uma mesma pessoa precisa das duas doses da mesma vacina para estar imunizada, a SES-MG afirma que é responsabilidade do município organizar a estratégia de vacinação para evitar a perda de doses.

 
Velocidade da vacinação

 
A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais lançou, nesta quarta-feira, o “vacinômetro”, página onde serão atualizados os números da imunização contra a COVID-19 no estado. 

De acordo com o painel, os municípios mineiros já receberam 496.160 doses de imunizantes contra a doença provocada pelo coronavírus. Até esta quarta-feira, 115.219 pessoas já haviam sido vacinadas.

Coronavírus em Minas

 
Em tendência de alta na curva de transmissão da COVID-19, Minas registrou novo recorde de mortes em 24 horas: foram 216 vidas perdidas, e 8.392 casos. De acordo com boletim epidemiológico, divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde, nesta quarta-feira (27/01), o estado totaliza 707.649 diagnósticos positivos para a doença e 14.544 mortes.
 
O número de casos registrados nesta quarta-feira supera o patamar de julho, quando o estado passou pelo primeiro pico da pandemia. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade