Publicidade

Estado de Minas CORONAVAC

Polêmica: cuidadora terapêutica e instrutora de autoescola é vacinada em MG

Delvia Lopes agradeceu a prefeitura de Alfenas nas redes sociais; internos de asilos e os moradores das residências terapêuticas não foram imunizados


22/01/2021 10:26 - atualizado 22/01/2021 10:55

Cuidadora terapêutica e instrutora de autoescola é vacina em Alfenas(foto: Reprodução Internet)
Cuidadora terapêutica e instrutora de autoescola é vacina em Alfenas (foto: Reprodução Internet)
Uma cuidadora de uma residência terapêutica e instrutora de autoescola em Alfenas, no Sul de Minas, recebeu a primeira dose da vacina CoronaVac. Delvia Lopes agradeceu a administração municipal nas redes sociais e o fato gerou polêmica na cidade.

 

Delvia Lopes, de 51 anos, trabalha como cuidadora em uma residência terapêutica e também é instrutora em uma autoescola da cidade. Ela foi uma das que recebeu a primeira dose da CoronaVac e o fato gerou polêmica em Alfenas. “No meio do caos a gente vê quem aprendeu com a pandemia e quem dela tira o seu: salve-se quem puder”, disse moradora nas redes sociais.

 

Cuidadora terapêutica registou o momento nas redes sociais (foto: Reprodução Internet)
Cuidadora terapêutica registou o momento nas redes sociais (foto: Reprodução Internet)
Por telefone, Delvia explicou que faz parte da lista de prioridades do Ministério da Saúde. “A polêmica foi causada porque o pessoal só me conhece como instrutora da autoescola. Poucos sabem que também sou cuidadora”, explicou cuidadora.

 

Alfenas recebeu 766 vacinas nesse primeiro lote. A primeira a receber a CoronaVac no Sul de Minas, foi a técnica em enfermagem, Adriana Aparecida de Souza, de 46 anos, na última terça-feira (20/01). Ela trabalha na linha de frente em combate à COVID-19 desde o início da pandemia na Santa Casa de Alfenas.

 

Post gerou polêmica nas redes sociais(foto: Reprodução Internet)
Post gerou polêmica nas redes sociais (foto: Reprodução Internet)
“São poucas vacinas, são 766 vacinas, que serão aplicadas, obrigatoriamente, pelo protocolo do Ministério da Saúde aos profissionais que estão na linha da frente. Essas pessoas não temeram a vida para salvar as pessoas e correram risco. Doaram seu tempo para defender a vida”, afirmou prefeito Luiz Antônio da Silva (PT), no dia do ato simbólico.

 

A Secretária de Saúde explicou que os 37 profissionais que trabalham nas residências terapêuticas foram vacinados. “Como segue o protocolo do Ministério da Saúde, nós vacinamos todos os nossos profissionais da linha de frente da Santa Casa e do Hospital Imesa, do Lar São Vicente, das residências terapêuticas, aí a Delvia entra, e os profissionais da Clínica Neuro Psiquiátrica (Bagé). Nós estamos seguindo religiosamente e rigorosamente, o protocolo estabelecido”, diz Deyv Cabral de Assis, secretária de Saúde.

 

Mas os internos do Lar São Vicente, do Bagé e os moradores das residências terapêuticas forma excluídos do grupo prioritário e não receberam a primeira dose da vacina.

 

“Por conta da quantidade de doses, porque isso também está no protocolo, então, esse grupo vai ser vacinado assim que a gente receber a segunda remessa da vacina”. ressalta.

 

A secretária ainda informou que a vacinação com o primeiro lote foi encerrada nessa quinta-feira (21/01). Para mais esclarecimentos, a prefeitura vai disponibilizar ao Ministério Público um documento com os nomes de todas as pessoas vacinadas. “Inclusive com número de documento das que que receberam a primeira dose do imunizante, o que não é uma exigência do órgão, mas para dar conhecimento à promotoria de todas as pessoas que foram vacinadas”, afirma.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade