Publicidade

Estado de Minas EDUCAÇÃO

Boatos de fechamento de escola deixam alunos e funcionários apreensivos

Governo estuda integrar a Escola Estadual Professora Amélia de Castro Monteiro e do Centro Interescolar de Cultura, Arte, Linguagens e Tecnologias (Cicalt)


03/12/2020 13:57 - atualizado 03/12/2020 16:55

Na foto, fachada da escola no Bairro Horto(foto: Leandro Couri/DA/EM Press)
Na foto, fachada da escola no Bairro Horto (foto: Leandro Couri/DA/EM Press)
Funcionários e alunos estão apreensivos com a possibilidade do fechamento da Estadual Amélia de Castro Monteiro, que fica no Bairro Horto, na Região Leste de Belo Horizonte. O Governo de Minas Gerais afirma que o objetivo é unir a escola à outra unidade de educação e ampliar a oferta de ensino. 

Uma integrante da comunidade acadêmica contou à reportagem que a especulação sobre o fechamento começou na semana passada. "Estamos no escuro e ansiosos para saber o que será feito. Mas nada oficialmente foi comunicado", contou. A escola foi inaugurada em 1964 e guarda laços de afeto entre docentes, estudantes e ex-alunos. Muitos dos funcionários trabalham lá há décadas e lamentam a possibilidade de encerramento das atividades.

Atualmente, a escola abriga cerca de 200 estudantes do ensino médio, integral e adultos do programa do governo que visa oferecer o ensino fundamental e médio. Muitos estão preocupados com o que ocorreria com os alunos. 

A reportagem do Estado de Minas tentou contato com o diretor da escola. A equipe foi convidada para entrar na escola, mas o diretor Valdeir C. Barboza dos Santos tentou intimidar a reportagem sem nenhum esclarecimento.

Na imagem, placa com informações da escola (foto: Leandro Couri/DA/EM Press)
Na imagem, placa com informações da escola (foto: Leandro Couri/DA/EM Press)
O Governo de Minas nega o fechamento definitivo da escola. A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) informou por meio de nota que que está em diálogo com as comunidades escolares da Escola Estadual Professora Amélia de Castro Monteiro e do Centro Interescolar de Cultura, Arte, Linguagens e Tecnologias (Cicalt) para análise de uma proposta  de integração das duas unidades.

De acordo com a nota, "o objetivo é ampliar e qualificar o atendimento dos estudantes da região. É importante salientar que trata-se de uma reorganização para aprimorar a oferta de ensino  e que nenhum estudante ficará desassistido". 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade