Publicidade

Estado de Minas Chegada do Natal

Casa Fiat de Cultura inaugura o tradicional presépio de Natal, em BH

Para garantir a segurança dos visitantes, diante da COVID-19, o presépio será visto através de uma vitrine; a exposição ficará até o dia 6 de janeiro


26/11/2020 19:19 - atualizado 27/11/2020 11:05

Nesta edição, há mais de 400 peças confeccionadas em papel kraft(foto: Alexandre Guzanshe/EM/DA Press)
Nesta edição, há mais de 400 peças confeccionadas em papel kraft (foto: Alexandre Guzanshe/EM/DA Press)
 
A menos de um mês do Natal, a recriação da chegada do Menino Jesus ao mundo ganha forma nas casas, em instituições públicas e no coração das famílias. Mesmo em tempo de pandemia do novo coronavírus, o presépio continua o centro das atenções, despertando olhares de admiração e fortalecendo a fé popular.

Nesse espírito, e com a simplicidade que a data inspira, foi inaugurado, ontem, o tradicional presépio colaborativo da Casa Fiat de Cultura, na Praça da Liberdade, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Desta vez, há mais de 400 peças confeccionadas em papel kraft, o popular papel de embrulho ou pardo, e papelão.

"Está aqui muito material reciclado. Temos papel de sacolas, de jornal, embalagens, enfim, nossa direção foi o mais simples. Podemos ser mais solidários e pacientes, especialmente agora. A pandemia acentua a percepção de um homem mais íntegro e integrado à natureza", diz o artista plástico Léo Piló, curador do presépio que se encontra na sexta edição.

Certo de que o objetivo da iniciativa é emocionar e garantir momentos de reflexão, Piló conta que começou a produção das peças em março, e, como naquele mês veio a quarentena, houve tempo mais do que suficiente para desenvolver o projeto em casa e depois no ateliê.

Em função do distanciamento social, as pessoas só poderão ver o presépio através de uma vitrine de 10 metros de largura por 2,20m de altura, e o artista recomenda a visitação quando estiver mais escuro para curtir as luzes. "Será mesmo como uma noite de Natal", convida.

As cenas da sagrada família ganharam um clima brasileiro, incluindo coqueiros, mas o papel tem seu destaque. Para Léo Piló, o kraft substitui o plástico, principalmente em sacolas, com uso mais ecológico e menor impacto ao meio ambiente. E explica: "Por não passar por processos de clareamento do papel e ser mais natural, é menos contaminante e pode ser facilmente reciclado. No Brasil, apenas 3% dos resíduos gerados passam por processos de reciclagem. O papel tem taxa de reciclo de 68%, enquanto o plástico, de 22%. A escolha do material, nesta edição, é um convite à revisão de atitudes, ao lembrar que as pessoas podem reduzir impactos ambientais com pequenas mudanças, como a compra de produtos sem embalagens plásticas".
(foto: O artista plástico Léo Piló é o autor do presépio de 2020)
(foto: O artista plástico Léo Piló é o autor do presépio de 2020)


Com alegria, Piló revela que a grande inspiração do Presépio Colaborativo 2020 vem da figura materna e do surgimento das famílias. "Independentemente do lugar, das crenças e das classes sociais, há sempre um respeito muito grande pelas famílias e pelas crianças que nascem e precisam de proteção. Cada pessoa é um pequeno deus. E um nascimento se torna sempre sinal de esperança e de dias melhores”.

Adaptação 


Em nota, a direção da Casa Fiat de Cultura informa que, a cada ano, as cenas tradicionais ganham ares modernos, e são adaptados a novas realidades, aproximando o presépio da vida cotidiana.

A base principal é a reciclagem de resíduos. No presépio deste ano, que ficará exposto até 6 de janeiro, as peças foram feitas a partir de técnicas de dobraduras, franzimento, kirigami, empapelamento, papel colé, texturização e alfaiataria em papel. 

A cena será organizada em três planos diferentes: no primeiro, pequenas peças coloridas, em homenagem às crianças, no segundo, os personagens da sagrada família, e, ao fundo, a mata de coqueiros e bromélias, "que representa o Brasil e aproxima a tradicional cena de Natal de nossa realidade".

O ambiente também é composto por colunas com referências gregas e romanas, que simbolizam a tradição e o passado. "O desgaste das colunas representa a superação desse tempo que não existe mais, anunciando que uma nova era está por ser descoberta e vivida."
 
Se a primeira edição foi feita com papel e propunha o resgate das tradições natalinas, a seguinte apresentou temática futurista, com uso de tetra pak. Em 2017, as peças feitas em papel, isopor, plástico e papelão homenageavam os povos indígenas e faziam apelo à preservação das terras. Já a quarta edição foi uma homenagem ao Presépio do Pipiripau, com mais de mil peças em papelão. Em 2019, houve uma edição comemorativa, relembrando os anos anteriores e trazendo o presépio em bambu, considerado o material do futuro, pelo artista e curador.

SEGURANÇA


Para garantir a segurança dos participantes e continuidade dos festejos natalinos, todo o conceito do Presépio Colaborativo foi adaptado à nova realidade mundial: as tradicionais oficinas, que todos os anos envolviam o público na sede da Casa Fiat de Cultura, para confecção das peças, foram realizadas em formato de vídeo, nas redes sociais da instituição, ensinando a confecção de objetos que podem ser usados na decoração natalina de casa.

Os cinco vídeos, com passo a passo de como fazer botinhas de Natal, bromélias, coqueirinhos e enfeites de parede, já tiveram mais de 7 mil acessos, podendo ser vistos no canal da Casa Fiat de Cultura no YouTube.

O presidente da Casa Fiat de Cultura, Fernão Silveira, vê a realização do presépio como uma reinvenção, depois das tantas mudanças que 2020 provocou: “As experiências que antes ocorriam dentro da nossa Casa precisaram continuar no espaço virtual e, agora, encontramos uma janela para nos aproximar. Desejamos que esses aprendizados se mantenham e que possamos celebrar um mundo mais unido e consciente do papel de cada um”.

A 6ª edição do Presépio Colaborativo da Casa Fiat de Cultura é uma realização do Ministério do Turismo, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e da Casa Fiat de Cultura, com o patrocínio da Fiat Chrysler Automóveis (FCA), da Fiat Chrysler Finanças e do Banco Safra. A iniciativa conta com apoio da Ilha Ecológica da Fiat, e apoio institucional do Circuito Liberdade, do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (Iepha), e dos governos de Minas e federal.

SERVIÇO

Presépio Colaborativo da Casa Fiat de Cultura
Até 6 de janeiro
Visita à vitrine da Casa Fiat de Cultura
Circuito Liberdade
Praça da Liberdade, 10, Bairro Funcionários, em Belo Horizonte.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade